Comissão quer plano para promoção do trabalho entre os jovens

A criação do Plano Estadual de Promoção do Trabalho Decente para Jovens no Rio de Janeiro está entre as propostas levantadas pela Comissão Especial da Juventude da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) em seu relatório final, aprovado nesta quarta-feira (10/02). A presidente da comissão, deputada Dani Monteiro (PSol), destacou que o relatório foi dividido em sete eixos de pesquisa, com enfoque nas áreas de educação, cultura, prevenção a violência., saúde e trabalho. Ela também confirmou que o documento será apresentado em detalhes para a população em uma roda de rima quando todos estiverem vacinados.

De acordo com a parlamentar, desde março de 2019, quando o grupo foi criado, os deputados realizaram oito audiências públicas, fez três visitas técnicas e oito escutas temáticas, dimensionando cerca de 800 fluminenses em pesquisas apresentadas no documento. “Nosso objetivo sempre foi diagnosticar a situação do jovem no estado do Rio e conseguimos atingir essa meta. Produzimos um material rico e muito propositivo, mesmo tendo trabalhado apenas um ano, já que desde março de 2020 suspendemos as nossas atividades por conta da pandemia, entregamos uma análise muito eficiente para propor melhorias ao estado”, comemorou a presidente da comissão.

Trabalho e Renda

A deputada Monica Francisco (PSol), presidente da Comissão de Trabalho da Alerj, falou sobre a criação do Plano. Segundo ela, foi realizada uma audiência em conjunto entre as comissões e, após ouvir especialistas e a população, foi identificada uma dificuldade de empregabilidade da juventude, principalmente do trabalho formal e entre os jovens das regiões mais afastada dos centros urbanos. “Esse ainda precisa ser um ponto central nos nossos debates e ter políticas públicas como essa é fundamental para isso. Tenho orgulho de poder mostrar a capacidade da juventude do estado com o trabalho feito no nosso Parlamento por deputados tão jovens”, ponderou.

Ainda nesse assunto, a deputada Tia Ju (PRB), sugeriu que o relatório proponha um programa de trabalho voltado aos jovens que cumprem medidas socioeducativas. “Precisamos dar outra perspectiva de vida para essa outra parcela da população”, pontuou. Em resposta, Dani disse que estava prevista uma análise específica sobre o assunto, mas com a pandemia não foi possível aprofundar no tema. “Ainda assim, parte desse trabalho foi desenvolvido e constará no relatório”, acrescentou.

Para a deputada Zeidan (PT) a economia solidária pode ser um aliado para impulsionar a vida profissional dos jovens que moram em periferias do Rio. “Só combatemos essa violência com um trabalho de inclusão, e como estamos com um governo quebrado fica distante para que consigamos demandas nessa área. A economia solidária poderia ser uma saída para combater os grandes cartéis que monopolizam o setor e isso deve constar no relatório”, afirmou. Dani Monteiro finalizou a reunião informando que no prazo de 10 dias o relatório será finalizado e enviado para a análise do Plenário da Casa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: