Com novos canais digitais, Mesquita tira nota máxima em transparência

Terceiro menor município da Baixada Fluminense, Mesquita conseguiu um resultado expressivo ao ser uma das 11 cidades no Brasil a conquistar a nota 10 na 2ª edição da Escala Brasil Transparente (EBT) — Avaliação 360°. Realizado pela Controladoria Geral da União (CGU), a iniciativa busca verificar o grau de cumprimento de dispositivos da Lei de Acesso à Informação (LAI) e de outros normativos sobre transparência pública em todos os estados, no Distrito Federal e nos 665 municípios com mais de 50 mil habitantes.

A grosso modo, o resultado espelha como os governos municipais e estaduais se relacionam com suas populações, na disponibilização de serviços como saúde, infraestrutura, segurança, além das resoluções de demandas e, principalmente, prestação das contas públicas. Em mesquita, a infraestrutura on-line na sede do governo municipal, comandada pela prefeitura, é de dar inveja a muitos vizinhos da região. À frente do município, o prefeito Jorge Miranda explica como a cidade conquistou a posição de destaque.

— Tem que ter gente. Sem pessoal, não anda. Temos hoje 21 pessoas no planejamento. Na informática, são quase 30, então temos estrutura tecnológica. Quando assumimos, não havia planejamento, não tinha ninguém na informática. A partir do momento que o processo se torna transparente, começa a existir um diálogo melhor com a população, com dados que podem ser verificados, além de melhorar o contato na rua. Assim, começamos a perceber que esse é o caminho — afirmou prefeito.

Além de Mesquita, São Pedro da Aldeia, na Região dos Lagos, alcançou a nota máxima da avaliação. E o resultado salta ainda mais aos olhos devido ao mau desempenho do Rio de Janeiro na avaliação por estados. O governo do estado ficou na 22ª posição num ranking com 27, à frente apenas de Piauí, Tocantins, Acre, Pará e Rondônia.

Em sua avaliação, a Controladoria Geral da União verifica a existência de canais presencial e eletrônico para solicitações de informação pelos cidadãos e atendimento desses pedidos. Em tempos de pandemia, isso se torna ainda mais fundamental dada a tentativa de se reduzir a circulação de pessoas.

— Nosso cidadão baixa o aplicativo, faz a reclamação direta e, por trás, nós temos a parte de gerenciamento. Qualquer serviço público pode ser solicitado pelo aplicativo: ele é encaminhado para a secretaria responsável e uma equipe acompanha. Temos, atualmente, 73 pessoas cadastradas para tomar conta do sistema, e com 93,9% de resoluções, lideremos nesse aspecto. Pelo app é possível solicitar qualquer serviço: iluminação pública, marcação de exames, seja o que for. Quando eu chego na prefeitura e vejo um cidadão em busca de algum serviço, eu já oriento o servidor a ensinar a baixar o aplicativo e mostrar como fazer. Assim evitamos o acúmulo de serviço, e também filas e aglomerações — afirmou Miranda.

O resultado alcançado por Mesquita já fez algumas cidades procurarem a prefeitura em busca de indicações de empresas e como adotar o modelo de transparência da cidade.

Prefeito Jorge Miranda no centro de monitoramento da cidade Foto: Domingos Peixoto / Agência O Globo

Enquanto isso, em seu gabinete, no segundo andar da sede do governo, Jorge Miranda, com um verdadeiro “BBB” à sua disposição num telão que toma conta de quase toda a parede, faz planos de adotar um modelo de vacinação on-line para os próximos dias. A ideia é que o morador marque, pelo app, o dia e a hora para ser vacinado, de acordo com o calendário. O objetivo é evitar longas esperas nas filas e aglomerações

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: