Com base em transação de Philippe Coutinho, token do Vasco rende primeiro pagamento

Os torcedores que adquiriram o Vasco Token, do Mercado Bitcoin, receberão o primeiro pagamento referente ao ativo. A quantia começou a ser disponibilizada na quinta-feira, dia 8 de abril, pouco mais de cinco meses após o lançamento. O valor está ligado à transferência de Philippe Coutinho do Liverpool para o Barcelona, em 2018 – uma cláusula previa o pagamento de bônus ao time inglês caso o atleta atingisse alguns indicadores de performance.

Os pagamentos advindos do ativo têm como base o mecanismo de solidariedade da Fifa, que prevê uma parcela financeira de qualquer transação – seja ela empréstimo ou definitiva – ao clube formador. A parcela é determinada com base no tempo em que o atleta permaneceu no clube, com teto de 5%.

Quem adquiriu o criptoativo irá receber 1,63% sobre cada Vasco Token. No total, mais de R$ 800 mil foram distribuídos aos detentores neste primeiro pagamento.

Philippe Coutinho em Barcelona x Levante — Foto: REUTERS/Albert Gea

– A partir deste primeiro pagamento, mais vascaínos terão a oportunidade de diversificar seus portfólios de investimento. O Vasco continuará inovando para trazer mais atrativos a todos os seus stakeholders, e entende que essa parceria é apenas a primeira de outras que vêm pela frente – afirma Luiz Mello, CEO do Vasco da Gama.

Sócio-torcedores dos planos Caldeirão Mais e Colina Mais que assinarem o pay-per-view do Campeonato Carioca receberão, em forma de cashback, R$ 129,90 em tokens. Para usufruir da condição, o torcedor deve abrir uma conta na plataforma Mercado Bitcoin.

Em novembro do ano passado, quando do lançamento do produto, o Vasco anunciou ter recebido R$ 10 milhões. A ferramenta é uma possibilidade de o clube aumentar as suas receitas.

Quais são os jogadores envolvidos?

Existe um grupo pré-definido de 12 jogadores formados pelo Vasco que podem render pagamentos aos detentores do Vasco Token. São eles: Souza (Beşiktaş), Douglas Luiz (Aston Villa), Philippe Coutinho (Barcelona), Alex Teixeira, Paulinho (Bayer Leverkusen), Allan (Everton), Evander (Midtjylland), Luan (Palmeiras), Mateus Vital (Corinthians), Alan Kardec (Chongqing Dangdai), Marrony (Atlético-MG) e Nathan (Boavista-POR).

Paulinho é uma das crias do Vasco que pode render pagamentos aos detentores do token — Foto: Rolf Vennenbernd/Getty Images

Quando houver alguma transação envolvendo um atleta desse grupo, o mecanismo de solidariedade será dividido entre os detentores do Vasco Token. A precificação do ativo é feita em euros, então o valor final recebido pelos usuários é influenciado pela cotação da moeda.

O que é um token?

No mercado de investimentos, um token representa um ativo em formato digital, registrado em bancos públicos e distribuído com uso de criptografia. Vale ressaltar que um token não é a mesma coisa que uma criptomoeda, e sim uma classe de criptoativos dependente de outras criptomoedas.

Ao adquirir um token, o controle do ativo digital é totalmente do usuário detentor. Por meio do uso das blockchains, redes de computadores que não dependem da coordenação de uma empresa central, os tokens passam a ser independentes da existência da empresa emissora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: