Com apoio da Firjan, Frente Parlamentar de Fomento ao Audiovisual é criada no Dia do Cinema Brasileiro

Para celebrar o Dia do Cinema Brasileiro, o Palácio Tiradentes, prédio histórico da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), recebeu na ultima segunda-feira, 19/06, cineastas, diretores, roteiristas, atores, empresários, autoridades e instituições como a Firjan em uma sessão solene.

Leonardo Edde, vice-presidente da Firjan e presidente do Sindicato Interestadual da Indústria de Audiovisual (Sicav), destacou a importância do estado do Rio como espaço para a produção audiovisual brasileira. “No mundo inteiro, a indústria criativa é uma grande empregadora, sobretudo de jovens, em diferentes funções. E com as produções independentes, a indústria fala sobre diversidade, inclusão e noção de pertencimento do território”, observou Edde na abertura do evento.

Na solenidade, foram anunciadas medidas apoiadas pela Firjan que visam estimular o mercado fluminense, como a criação da Frente Parlamentar de Fomento do Audiovisual no Estado do Rio e a elaboração de iniciativas debatidas em conjunto com a federação e o Sicav, entre outras instituições.

Uma dessas propostas que conta com a participação da Firjan em seu encaminhamento é o projeto de lei nº 1.029/2023, do deputado Munir Neto, presidente da nova Frente Parlamentar. O projeto prevê uma quantidade mínima de dias de exibição de obras cinematográficas brasileiras independentes nos cinemas do estado, definindo um percentual máximo de filmes estrangeiros em salas de complexos cinematográficos (multiplex), denominado de cota de tela.

Tatiana Abranches, gerente Jurídico Empresarial da Firjan, destacou a importância da Frente Parlamentar de Fomento do Audiovisual. Além do projeto da cota de tela, a federação está elaborando junto com o deputado Munir Neto quatro outros textos para fomentar a produção audiovisual fluminense.

Um projeto que deverá ser protocolado ainda nesta semana trata de um calendário de eventos estratégicos. Outro visa instituir o Programa de Ação Cultural (PROAC), que será implementado pela SECEC/RJ. Um quarto projeto tratará sobre o apoio a produções fluminenses em festivais e mostras de cinema nacionais e internacionais.

“Por fim, estamos idealizando um texto que institui o Soft Power do Estado do Rio de Janeiro, como forma de reconhecer a imagem da cidade e de todo o estado para o fomento das produções, a partir de um ambiente favorável de negócios que propicie o retorno dos investimentos ao estado”, explica Tatiana.

No evento, a atriz Zezé Mota, os produtores Luiz Carlos Barreto e Lucy Barreto e o distribuidor Bruno Wainer foram homenageados pela contribuição relevante para o crescimento do mercado cinematográfico brasileiro. Também participaram da abertura do evento: Daniele Barros, secretária de Estado de Cultura e Economia Criativa (SECEC/RJ), e os deputados estaduais Dani Balbi, Verônica Lima e Luiz Paulo Corrêa da Rocha.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *