Com 232 pacientes na fila, Rio bate recorde de pedidos de internações por covid-19

O estado do Rio de Janeiro bateu recorde de pedidos de internação para o tratamento de covid-19 em leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI), no fim de semana. Ao todo, foram 344 solicitações e a fila de espera chegou a 232 pacientes. Segundo a Secretaria Estadual de Saúde, na segunda-feira, a taxa de ocupação para leitos de UTI estava em 78,8%, e de enfermarias, 59,6%. A mediana do tempo de espera entre a inclusão da solicitação no sistema e a regulação do leito para enfermaria é de duas horas; e de quatro horas para UTI, com base nas informações enviadas à Subsecretaria de Vigilância em Saúde pelos municípios. 

O Ministério Público do Rio de Janeiro e a Defensoria Pública recomendam medidas para combater o avanço da covid-19. Segundo as autoridades, mantém o diálogo permanente com as Secretarias de Estado e Municipal de Saúde, além de outros órgãos de controle. Para eles, mostra-se urgente a recomposição de quadros de recursos humanos, como médicos e enfermeiros, insumos assim como agilidade na reforma e manutenção de espaços hospitalares que hoje se encontram indisponíveis para ocupação. “Identificamos, ainda, uma necessidade constante de aperfeiçoamento da qualidade da informação gerada nas unidades hospitalares, a fim de permitir um retrato fidedigno e atual da oferta e demanda de leitos, evitando inconsistências na leitura dos dados”, informou o MPRJ.

A SES informou que a rede SUS que atende ao estado não está em colapso, e há leitos de UTI e enfermaria disponíveis para o tratamento da covid e ressaltam que colapso ocorre quando a capacidade de atendimento da rede é extrapolada. “Ainda que alguns municípios estejam com sua lotação máxima, a pactuação da central de regulação unificada permite internação em qualquer leito SUS disponível, independentemente do município de origem e até mesmo que o paciente seja de outro estado”, informaram em nota.

A pasta informou que nem todos os leitos dos municípios estão atualmente disponíveis para a regulação unificada. Na última sexta-feira, o Governo do Estado recomendou às prefeituras que se unam em uma força-tarefa para a abertura de vagas e que elas sejam disponibilizadas na central de regulação unificada. 

Taxa de ocupação na capital passa de 80%

Ainda segundo a pasta nunca deixou de existir fila para internação em leitos de UTI e enfermaria destinados a pacientes com coronavírus no estado. “Em fevereiro, a fila chegou a zerar em determinados momentos do dia, porém esses dados são dinâmicos e mudam ao longo do dia, de acordo com o fluxo de solicitações, transferência e disponibilidade de leitos, considerando as vagas disponíveis nas redes municipal, estadual e federal”, informaram.

Na capital fluminense, a taxa de ocupação de leitos de UTI está em 87% e os de enfermeira em 66%. Atualmente, são 1.073 pessoas internadas e 73 pessoas aguardam, há mais de 24h, uma vaga em leitos de hospitais públicos. atendimento. O município chegou a registrar o maior número de internados por covid-19 desde dezembro. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: