Cláudio Castro apresenta plano de governo para 2021 na Alerj

O governador em exercício, Cláudio Castro, esteve presente na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) durante a abertura do novo ano legislativo. Em sessão solene, realizada nesta terça-feira (02/02), Castro apresentou as principais ações do plano de governo para 2021, e afirmou que um dos objetivos de sua gestão é a implementação do Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS) da Saúde, instituído pela Lei 7.946/18, uma demanda de mais de dez anos dos servidores da Saúde.

“Aqui, deixo os meus mais profundos e sinceros agradecimentos a todos profissionais de Saúde de nosso Estado, que de forma heróica vêm se dedicando a salvar vidas. Quero reiterar meu compromisso de até o final deste mandato e, se Deus quiser, até o fim deste ano, instituir o PCCS da Saúde”, afirmou Castro.

A deputada Martha Rocha (PDT), presidente da Comissão de Saúde da Alerj, defendeu a implementação do plano. “Esta é uma demanda antiga dos servidores, pela qual os parlamentares da Alerj vêm lutando há muito tempo. Os servidores da área têm uma defasagem muito grande de salários e o governador Witzel tinha o compromisso de implementar o PCCS, sendo que a secretaria da área já havia apresentado ao parlamento, inclusive, as compensações orçamentárias para a implementação do plano”, declarou.

Os trabalhos da sessão foram conduzidos pelo presidente da Alerj, deputado André Ceciliano (PT). Compuseram a mesa os Secretários de Estado da Casa Civil, Nicola Miccione, e de Governo, André Lazaroni; e os deputados Martha Rocha e Noel de Carvalho (PSDB) hastearam as bandeiras do Brasil e do Estado do Rio de Janeiro para a execução do hino nacional.

Em sua fala, o governador disse que três objetivos o levaram a estar na Alerj: o respeito ao Parlamento e à democracia; a gratidão pelo apoio e críticas construtivas dos deputados, e fazer um convite para que a Casa e o Poder Executivo firmem um pacto pelo crescimento econômico, pela geração de empregos, pelo enfrentamento à pobreza e pela modernização do Estado.

“Se não fosse o espírito público desta Casa, dirigida pelo meu amigo, André Ceciliano, não teria sido possível atravessarmos esta tempestade, que além de levar milhares de vidas, trouxe consigo o desemprego e a pobreza. A aprovação de leis de incentivo econômico, como o do polo metal mecânico, o Riolog, e o refinanciamento das dívidas da cadeia de petróleo. A parceria com a Alerj continuará a ser primordial para a superação de todos os desafios que ainda teremos pela frente”, afirmou.

O governador citou diversos deputados da Alerj, em suas respectivas áreas de atuação, ao falar do pacto que ele propôs: “É necessário um pacto para acabar com o verdadeiro hospício tributário que o Rio vive. Um pacto para que nossos jovens não sejam alvos dessa guerra insana em que todos perdem – não me sai da cabeça as fotos de Emilly e Rebeca, crianças que tinham a idade da minha filha, e também a pequena Ana Clara, de 5 anos, morta com um tiro de fuzil nesta manhã em Niterói. Um pacto para que nossos valorosos policiais militares e civis possam exercer suas atividades sabendo que voltarão para a casa ao final do expediente. Um pacto pela educação e para que nossas crianças e jovens voltem a acreditar na capacidade emancipadora da nossa escola pública. Um pacto pelo desenvolvimento econômico de nosso interior. O Estado do Rio não é só a capital. Um pacto também pela liberdade de imprensa”.

Esperança

Segundo Castro, é tempo de recomeço. “E todo recomeço carrega consigo uma palavra que nos move ao desconhecido futuro: esperança. Quem de nós poderia supor que após dois anos teríamos pela frente fatos históricos que nos marcariam para sempre. A pandemia do coronavírus nos tirou o que de mais precioso temos, a vida. Foram mais de 30 mil vidas perdidas em nosso estado para a pandemia. Precisamos ressignificar nossas trajetórias e mantermos a fé diante de tudo isso. Rogo minhas homenagens aos saudosos João Peixoto e Gil Vianna”, disse o governador, lembrando dos parlamentares que faleceram no ano passado devido à pandemia.

O governador também afirmou que tem esperanças de um futuro melhor e que está esperançoso com a vacinação. “Somos plenamente capazes de recomeçar e devolver ao povo fluminense a esperança de um futuro melhor. Nesse momento, com o início da vacinação, reforçamos a ideia de superação e a certeza absoluta de que é possível vencermos o vírus e voltarmos à normalidade. Todos os 92 municípios estão recebendo a vacina de forma igualitária, em um trabalho de logística e distribuição que envolve o esforço de milhares de servidores”, continuou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: