fbpx

Circuito literário ‘Ler para Va-Ler’ chega ao distrito de Itaipava, em Petrópolis

Desde o fim de semana e p próximo sábado (20), o distrito de Itaipava, em Petrópolis, na Região Serrana do Rio, sedia o “Circuito Ler para Va-Ler”. A iniciativa faz parte do Festival do Leitor, que está em sua 4ª edição e pela primeira vez passa por diversas cidades do estado.

Petrópolis foi escolhida como a primeira parada do circuito, que ainda deve contemplar outras 13 regiões do estado. Na cidade, o evento acontece no Parque Municipal de Petrópolis, Estrada União e Indústria, nº 10.000, em Itaipava.

Considerado um dos maiores do país, o evento literário tem como foco os milhares de jovens e crianças do ensino médio, fundamental e básico, além de educadores e mediadores de leitura.

Circuito literário acontece no Parque Municipal de Petrópolis, RJ, em Itaipava — Foto: Ascom/Prefeitura de Petrópolis

“É a literatura contribuindo para uma rede de ensino mais integrada, levando para o interior uma programação que normalmente é privilegiada nas capitais. Acreditamos que a LER, seus autores e conteúdo, expressões culturais e artísticas contribuirão para o retorno dos alunos às escolas. Vamos usar o poder da leitura e da escrita para transformar a vida, a comunidade e a sociedade”, explica Jerônimo Vargas, diretor da LER.

Os ingressos para o circuito custam: meia entrada R$ 15 por dia (para menores, estudantes, professores e pessoas com mais de 60 anos); gratuito para crianças até 3 anos; duas crianças da mesma família pagando meia entrada, tem uma cortesia para um adulto.

Já o passaporte para participar de todos os dias do evento com atrações exclusivas custa R$ 70 + 1kg de alimento não perecível.

Circuito tem oitos dias de programação variada

Evento literário em Petrópolis, RJ, tem oito dias de programação variada — Foto: Ascom/Prefeitura de Petrópolis

O “Ler para Va-Ler” tem oficinas, debates, saraus, contações de histórias, teatro e atividades multiculturais.

São oito dias de programação intensa em cada cidade visitada, com encontros entre diferentes autores e profissionais de áreas diversas como a da justiça, psicanálise, astronomia, entre outros. Nomes da cena nacional estarão presentes, como Eduardo Bueno, Mary Del Priore, Jessé Andarilho, Eliana Alves Cruz, João Barone, Adriana Falcão, Luly Trigo, Braulio Tavares, Clara Alves, entre outros.

O circuito acontece em parceria com o Governo do Estado por meio da Secretaria Estadual de Educação do Rio de Janeiro.

“O Circuito LER PARA VA-LER é grandioso, com ênfase na questão da cultura, da leitura, dos livros e contato com autores. É um evento de extrema importância para nossa rede de ensino nesse momento pós-pandemia, quando os alunos retornam as aulas presenciais. Essa parceria que se inicia é importante não só para os professores e alunos, mas também para a Educação do Estado do Rio de Janeiro”, diz o secretário de Educação do estado, Alexandre Valle.

Festival literário em Petrópolis, RJ, conta com programação para todas as idades — Foto: Valdo Macedo

De acordo com os organizadores, a acessibilidade e a inclusão são alguns dos pontos fortes da LER, que trabalha em todas as suas edições atividades como as leituras em braile e em libras, visitas guiadas e a confecção de livros sensoriais.

“O Circuito LER PARA VALER é uma forma de democratizar ainda mais o acesso à leitura e facilitar o encontro dos jovens leitores com os autores. Vamos percorrer cidades fluminenses, colocando a LER no mapa, e semeando cultura por onde passarmos”, complementa uma das curadoras do Circuito, Paula Taitelbaum.

Espaços variados para leitores de todas as idades

O “Circuito Ler para Va-Ler” conta com 30 espaços com atividades contínuas; 800 escritores, autores e artistas; dezenas de editoras e livrarias com milhares de livros; cerca de 600 peças, oficinas, atrações e intervenções literárias.

"Circuito Ler para Va-Ler" tem espaços tem interação variados; evento acontece em Petrópolis, no RJ — Foto: Valdo Macedo

Segundo um dos curadores, Julio Silveira, responsável pelo Café do Livro, espaço reservado para bate-papos entre autores com diferentes perspectivas sobre a criação de obras, história, política e identidade, a LER é um festival que celebra a língua portuguesa.

“Vejo a LER como uma grande oportunidade para recuperarmos o que tem sido perdido ultimamente: o diálogo, a troca de ideias, a inspiração mútua. Em tempos de polarização, trazemos para as mesas da LER toda uma gama de pontos de vista diferentes, com leitores de todos os perfis e origens. Para que todos possam ver o que temos em comum, mas que também possam apreciar e aprender com as diferenças para, quem sabe, construir e criar juntos”, afirma.

O Palco da Palavra é mais um dos espaços do evento, nesse caso, criado para receber grande parte dos jovens estudantes e seus professores. Pensando neles, a programação é focada em autores de obras juvenis, autores e personalidades pops, influenciadores que tenham relação com a literatura e autores ligados à música. O público pode conferir apresentações, palestras e lançamentos de livros.

Circuito literário em Petrópolis, RJ, tem 30 espaços de atividades — Foto: Valdo Macedo

Com curadoria de Verônica Lessa e Volnei Canônica, a Tenda Jardim Literário apresenta atividades para o público infantil e juvenil e para toda a família. “Na nossa programação criamos um roteiro em que a literatura seja apreciada por todas as idades. As crianças que participam vão se divertir assim como o adulto que acompanha a crianças”, conta a dupla de curadores.

Já espaços como o Teatro Literário, o Circo Poético e o Sarau Literário apresentam peças teatrais educativas e literárias como: “O Alienista”, de Machado de Assis; “Senhora”, de José de Alencar; “O Homem que Sabia Javanês“, de Lima Barreto; “Memórias Póstumas de Brás Cubas“, de Machado de Assis; “Triste Fim de Policarpo Quaresma”, de Lima Barreto; e encontros com autores que privilegiam o diálogo e estreitam a relação do jovem com a leitura, promovendo outras formas de contato com a literatura. A curadoria é de Lucas Rizzeto.

Apresentações artísticas fazem parte da programação do "Circuito Ler para Va-Ler" — Foto: Valdo Macedo

Fomentando a economia criativa local, Gisele Lopes fica responsável pelo espaço LER em Movimento, organizando oficinas de cordel, desenho, e uma enorme produção de conteúdos. A novidade fica por conta do Espaço Escola Criativa, sob curadoria de Marina Vieira. Nesse espaço, os artistas envolvem os participantes no processo de criação e de produção de obras, promovendo a experimentação e gerando novas percepções e experiências.https://tpc.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

Evento tem espaço voltado para educadores

Evento literário em Petrópolis, RJ, tem espaço voltado para educadores — Foto: Ascom/Prefeitura de Petrópolis

Com quatro dias de duração, o Encontro LER do Educador foi desenvolvido especialmente para professores, diretores, mediadores de leitura e demais profissionais da área de educação. Com uma estrutura de três tendas e duas salas de oficinas exclusivamente dedicadas aos educadores, a LER – O Festival do Leitor pretende reforçar ainda mais seu pilar que é: o livro como instrumento de transformação.

Serão discutidos temas que promovam apoio e reflexão para os professores junto a seus alunos, como resgate de autoestima de alunos negros na educação com a participação de Sonia Rosa e Clarissa Brito; sexualidade e outros temas importantes com Anna Claudia Ramos e Débora Thomé; fantasia na literatura como forma de engajar os alunos com André Gordirro e Luciana Savaget, entre outros autores e temas relevantes, considerando tecnologia e educação, novas metodologias e dinâmicas, e oficinas em um ambiente colaborativo e positivo.

“Contribuiremos entre outras coisas para uma rede de fato integrada, levando ao interior programação que normalmente só tem lugar de forma mais isolada nas capitais. Queremos trocar experiências e ideias com professores e educadores da rede de ensino do Rio de Janeiro. Acreditamos que com isso estaremos também ajudando a recuperar o sentido do encontro presencial de forma cuidada e estabelecendo reflexões que possam trazer muitos frutos para os profissionais da educação”, comentam as curadoras Carla Branco e Carolina Sanches.

Outras informações sobre o festival podem ser obtidas pelo site oficial do evento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: