China diz estar “chocada” com plano da OMS para estudar origem da covid

O governo chinês disse, nesta 5ª feira (22.jul.2021), estar “chocado” com o plano da OMS (Organização Mundial da Saúde) para estudar a origem da covid-19. A OMS agora inclui a hipótese de que o vírus pode ter escapado de um laboratório chinês.

O vice-ministro da Comissão Nacional de Saúde da China, Zeng Yixin, disse que “não aceitará” o plano e que ele “desconsidera o senso comum e desafia a ciência”.

“Esperamos que a OMS analise seriamente as considerações e sugestões feitas por especialistas chineses e trate verdadeiramente o rastreamento da origem do vírus da covid-19 como uma questão científica e livre da interferência política”, afirmou.

Os estudos sobre a origem do vírus ainda são inconclusivos. Uma investigação da OMS apontou, em março de 2020, que o cenário mais provável para a origem da pandemia é a transmissão do vírus para humanos por meio de outro animal. O mesmo estudo considerou “improvável” a versão de que o vírus vazou de um laboratório chinês em Wuhan.

No entanto, grupo de cientistas questionou a investigação da OMS e pediu uma pesquisa independente, com mais acesso a registros da China.

Em maio de 2021, o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, solicitou à Comunidade de Inteligência norte-americana que redobre os esforços para investigar a origem do vírus e solicitou um relatório áreas de investigação adicional, incluindo questões específicas sobre a China.

Em sua declaração, o chefe do Executivo norte-americano afirmou que os EUA irão pressionar a China a participar de uma “investigação internacional completa, transparente e baseada em evidências e fornecer acesso a todos os dados e evidências relevantes”.

Nesta 5ª feira (22.jul.2021), Zeng Yixin disse que a China “já prestou esclarecimentos repetidas vezes” e que não aceita o plano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: