Chega a 34 as estações do BRT fechadas por furtos e vandalismo no Rio

Chega a 34 o número de estações do BRT fechadas nesta segunda-feira (24) por causa de furtos e vandalismo. E muitas continuam funcionando de forma precária pelo mesmo motivo.

A estação Aeroporto Jacarepaguá foi o alvo mais recente dos criminosos, que levaram equipamentos das portas automáticas. A porta estilhaçada foi jogada ao chão e os painéis para orientação dos passageiros estão apagados.

A técnica de enfermagem Michelle Menezes lamenta a falta de segurança e de fiscalização nas estações.

“Não vejo fiscalização por aqui. Deveria ter mais, né? E quem paga somos nós passageiros. Sempre a porta está quebrada. Sempre vejo porta de vidro quebrada por aqui também. Mas por falta de fiscalização. De vez em quando, depois que acontecem coisas aqui é que fica policiamento. Mas tem que acontecer primeiro para depois ter policiamento”, reclama a passageira.

O furto foi menos de 24 horas depois de outro crime, quando 200 metros de cabos de energia desapareceram da estação Morro do Outeiro, no corredor Transolímpica. Os passageiros ficaram às escuras no fim de semana.

O auxiliar de serviços gerais Leonardo Faria disse que os passageiros ficaram mais vulneráveis dentro de uma estação sem luz.

A turista Michelle Oliveira, disse que ficou com medo, principalmente porque não conhecia o local.

Mas há quem se aproveite da situação. No domingo, pelos menos duas pessoas foram flagradas entrando sem pagar passagem nos ônibus.Estação do BRT Bosque Marapendi, na Barra da Tijuca, tem módulo ...

Calotes

Na estação Taquara, nesta segunda-feira (24), foram pelo menos quatro flagrantes de calote em cinco minutos. Sem vigilância, os passageiros andam pelo corredor exclusivo de ônibus e invadem as estações sem serem incomodados.

Os ataques às estações são frequentes e causam prejuízo e atrapalham a vida do passageiro, que é quem paga a conta, como reclama a auxiliar administrativa Evelin Damasceno.

“Geralmente os televisores das estações estão quebrados, as portas estão quebradas, os ônibus também estão depredados. É geral, não é só nas estações, é no ônibus também”, disse a passageira.

Das 34 estações fechadas do BRT por causa de vandalismo, a maioria fica no corredor Transcarioca: são 17 fora de operação. Além de outras 13 no Transoeste e quatro no corredor Transolímpica. Uma delas é a estação Rede Sarah, que fica na Avenida Abelardo Bueno, na Barra da Tijuca, na Zona Oeste. Há quatro meses ela não funciona.

A empresa responsável pelo serviço começou a reforma. Mas enquanto ela não acaba, o passageiro tem de caminhar mais para embarcar e desembarcar. A estação mais próxima fica a cerca de 600 metros.

Desde abril, cem estações do BRT foram atacadas por vândalos. A polícia prendeu 32 suspeitos. Mas a destruição não para.

O que diz o consórcio BRT

O consórcio BRT informa que, apesar da crise financeira, está reformando as estações. A de Campinho foi entregue na semana passada. E mais sete estações do corredor Transcarioca vão ser reformadas em breve. O BRT lembra que o prejuízo financeiro da concessionária afeta o padrão de qualidade do serviço, e que os passageiros são os maiores prejudicados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TV Prefeito