fbpx

Centro Municipal de Longevidade, em Mesquita, teve manhãs de ações

O Centro Municipal de Longevidade promoveu nos dias 16 e 17 de junho, quarta e quinta-feira, um evento para conscientizar e informar os idosos sobre seus direitos. A ação foi em alusão ao Dia Mundial de Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa, celebrado em 15 de junho. A programação contou com uma série de atividades, garantindo interação entre os participantes, principalmente na troca de conhecimentos e experiências. Medidas de prevenção contra a covid-19 foram adotadas durante a ação, como disponibilização de álcool em gel, distanciamento entre as cadeiras e uso obrigatório de máscaras.

A abertura ficou por conta da coordenadora do Centro Municipal de Longevidade, Luciana Setubal, que falou da importância de se ter um espaço na cidade para promover políticas públicas direcionadas à terceira idade. “O espaço não só realiza atividades para os usuários, como também traz informações. Se você não tem conhecimento, desconhece seus direitos e não sabe o que exigir e nem para quemAssim, conseguimos promover um ambiente de convívio social e informativo”, diz.

Em seguida, a ATAV – Área Técnica de Ações contra Violência – de Mesquita propôs aos idosos uma dinâmica, onde eles falaram seus nomes e uma coisa que gostam de fazer. Com as diversas respostas, a ideia foi mostrar que há diferentes formas de violência. E que elas podem ser percebidas de formas distintas por cada idoso, uma vez que cada um enxerga a vida a partir das suas individualidades. A ATAV oferta atendimento psicológico na sede da Secretaria Municipal de Saúde, de segunda a sexta, das 8h às 17h. O serviço é destinado a qualquer mesquitense vítima de violência.

Por fim, Erika Rangel, subsecretária municipal de Assistência Social, iniciou uma roda de conversa com os usuários. Aspectos como, por exemplo, canais de denúncia e tipos de violência entraram em pauta. “A data é importante, mas não é algo para a gente se alegrar e sim para refletir. É um assunto muito sério e que, por isso, precisa ser amplamente debatido. É comum que, nesse processo de envelhecimento, aconteçam algumas perdas, como problemas de audição, visão e outras questões ligadas à saúde, por exemplo. Muitas vezes, a violência contra a terceira idade acontece principalmente em função dessas fragilidades”, avalia Erika.

Nesse sentido, a subsecretária finalizou defendendo a importância de os idosos serem protagonistas nesse combate, para que o poder público possa ajudá-los com a devida assistência e suporte. “Nós não temos ciência do que acontece dentro dos lares de vocês e, por isso, é necessário que vocês denunciem. A maior mudança depende de vocês. Contem com a Subsecretaria Municipal de Assistência Social nessa luta”, avisou Erika aos presentes.

Centro Municipal de LongevidadeInaugurado em 2019, o espaço fica localizado na Chatuba, junto ao CRAS, e, apesar de ser anexado ao equipamento, é destinado à recepção de idosos de todo o município. Lá, são oferecidas atividades de psicomotricidade, artesanato, rodas de conversa e ginástica.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: