Centro Dia do Idoso promove festa julina em São Gonçalo

Os idosos atendidos pelo Centro Dia do Idoso, equipamento vinculado à Secretaria de Assistência Social de São Gonçalo, no Jardim Catarina, tiveram uma tarde muito animada, com dança, música e comida típica nordestina, nesta quarta-feira (13), em uma grande celebração de festa julina. Os assistidos puderam levar seus familiares ao espaço, além de estarem envolvidos na preparação da festa, promovendo a socialização entre todos. 

“Nos preocupamos, além da festividade, em proporcionar um momento de cultura aos idosos, direito garantido pelo Estatuto do Idoso. Essas atividades promovem uma troca de experiências e vivências de grande importância. Acredito que, além da socialização, essa festa julina promoveu o resgate da vida e da origem desses idosos, fora que fortalece o laço de amizade entre eles“, disse Cinthia Weber, coordenadora do espaço.

Durante o dia, os assistidos tiveram uma palestra sobre a origem da festa julina e puderam trocar experiências sobre anos passados em que brincavam na festa. 

“Muitos dos assistidos no equipamento vieram do Norte e Nordeste, onde a festa tem uma tradição significativa. E, durante a palestra, eles puderam relembrar de quando eram mais jovens e vivenciavam a celebração. Foi muito prazeroso poder proporcionar a eles esse retorno ao passado, vimos o quanto são saudosos”, observou a coordenadora. 

A festa foi embalada por músicos da Orquestra Municipal de São Gonçalo, que conta com regência do maestro Paulo Guarany. Ao som de “Eu Só Quero Um Xodó”, canção de Dominguinhos, Maria de Fátima Barboza, de 69 anos, dançou e se emocionou.

“Esse momento tem uma importância imensurável na minha vida. Se não fosse o Centro Dia do Idoso, eu estaria em casa, depressiva, sem vontade de viver. No espaço eu me divirto, danço, faço amigos e vejo que nunca é tarde para ser feliz”, contou Maria de Fátima. 

Vontade de viver também é o sentimento de Maria da Guia Santos, de 72 anos, que, após passar pelo luto da perda de um filho, voltou a desfrutar os bens da vida. 

“Quando Jesus levou meu filho, fiquei por três só deitada em uma cama, chorando o dia inteiro. Até que um dia, enquanto me reerguia, passei em frente ao Centro Dia do Idoso e tive curiosidade de saber o que era oferecido, sendo que inicialmente não tinham vagas disponíveis. Mas, em poucos dias, me ligaram e iniciei as atividades no espaço. Desde esse dia, minha vida mudou. Pude, novamente, voltar a viver! As profissionais são uns anjos, sempre muito atenciosas e solícitas para me ouvir e ajudar. Esses momentos de festa ficam para sempre no meu coração”, declarou Maria da Guia.  

O espaço, situado no Jardim Catarina, atende a mais de 350 idosos por mês. Formado por uma equipe multidisciplinar com psicólogo, assistente social, pedagogos e educadores, o espaço oferece oficinas que estimulam a mente e o corpo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.