Carlos Ghosn perde ação contra Nissan e Mitsubishi

Carlos Ghosn perdeu uma ação judicial contra a Nissan e a Mitsubishi. A justiça holandesa rejeitou as alegações de que ele tenha sido demitido ilegalmente pelas montadoras. Agora, Ghosn terá de pagar 5 milhões de euros (R$ 32,2 milhões) para as empresas.

O caso foi julgado por uma corte da Holanda porque a aliança entre a Nissan e a Mitsubishi é controlada por uma empresa holandesa, Nissan-Mitsubishi BV. Ghosn pedia 15 milhões de euros (R$ 96,7 milhões) pelo que considerava uma demissão ilegal.

Segundo o jornal Financial Times, o tribunal holandês concluiu que não havia vínculo de trabalho formal entre o executivo e a empresa. Já Ghosn afirmava que trabalhou pela aliança entre o grupo e a Renault.

O tribunal afirmou ainda que o contrato anterior de trabalho foi finalizado abril de 2019, mas o executivo continuou recebendo salário de presidente das empresa até novembro do mesmo ano. Assim, ele precisa devolver a quantia recebida indevidamente. Ghosn ainda pode entrar com um recurso na justiça holandesa.

Em novembro de 2018, Ghosn foi preso no Japão. O executivo foi acusado irregularidades financeiras e fraude. Ele cumpria prisão domiciliar em dezembro de 2019, quando fugiu para o Líbano. Uma das versões para sua fuga é de ele teria embarcado em um jato particular dentro de uma case de equipamentos de áudio.

O executivo sempre afirmou ser inocente. Também diz que é vítima de uma conspiração. No momento, o ex-presidente da Nissan continua no Líbano, que não tem acordos de extradição com o Japão.

Ghosn nasceu no Brasil e tem cidadania libanesa e francesa. Ele liderou a aliança Renault-Nissan-Mitsubishi Motors. Ele foi o presidente-executivo da Nissan de 2001 a 2019. A Nissan acusa o empresário de ter cometido irregularidades financeiras no período da sua gestão.

Em 2020, a montadora denunciou seu ex-presidente à Justiça japonesa. A Nissan pediu uma indenização de US$ 90 milhões por condutas que teriam prejudicado a empresa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: