Campello garante Sá Pinto como técnico do Vasco: “Ninguém ganha ou perde sozinho”

O presidente Alexandre Campello garantiu a permanência de Ricardo Sá Pinto no Vasco. Em contato com o ge nesta terça, o dirigente afirmou que a terceira mudança de treinador na temporada (Abel Braga e Ramon Menezes saíram após crises de resultados) não resolveria os problemas do time e defendeu que o momento é de divisão de responsabilidade entre comissão técnica, jogadores e direção.

– Não acho que mais uma mudança de treinador vá resolver. Leva tempo até o treinador conhecer o elenco e acho que todos devem dividir a responsabilidade. Jogadores e comissão. E direção. Ninguém ganha ou perde sozinho no futebol. Cada um tem que assumir sua responsabilidade – disse o mandatário.

Alexandre Campello está em final de gestão no Vasco — Foto: Rafael Ribeiro/Vasco

Campello está em Portugal, onde tenta antecipar parte dos recursos da venda do lateral-direito Nathan ao Boavista. A conversa com a reportagem foi por mensagens em um aplicativo. O dirigente reconheceu sofrer pressão de torcedores para a demissão de Sá Pinto em um contexto de risco de rebaixamento no Brasileirão. Há desejo também de conselheiros e apoiadores do presidente.

Sá Pinto chegou ao Rio em 15 de outubro, ou seja, há dois meses. Deu o primeiro treino quatro dias depois em São Januário. Foram 13 jogos, com apenas duas vitórias, cinco empates e seis derrotas, no período – contando a Sul-Americana, da qual o time foi eliminado nas oitavas de final.

Sá Pinto ainda não conseguiu bons resultados no Vasco — Foto: André Durão

No Campeonato Brasileiro, a situação é ainda pior. Sob o comando do treinador, o Vasco teve uma vitória em nove rodadas e conquistou apenas 25,9% dos pontos disputados. Um aproveitamento pior, inclusive, do que o do Botafogo e Goiás (26,7%), últimos colocados na tabela de classificação.

A reportagem questionou Campello sobre qual seria o momento certo de reavaliar a continuidade de Sá Pinto. Ao justificar a demissão de Ramon, à época, o presidente havia dito: “Qual seria o momento de fazer a troca? Quando entrar na zona do rebaixamento? Quando a vaca for para o brejo?”

Sá Pinto assumiu o Vasco em 13º, viu a equipe cair para 17ª colocação e fincar raízes na zona de rebaixamento. Soma atualmente 25 pontos, três a menos do que o Bahia, o primeiro fora do Z-4.

Campello, então, respondeu:

– Agora não conseguimos jogar com o mesmo time duas vezes seguidas. Tivemos vários problemas com a Covid-19, e o treinador quase não teve uma semana cheia para treinar, ao contrário do Ramon que teve a maior pré-temporada que eu já vi no futebol.

O Vasco anunciou a efetivação de Ramon como técnico em 30 de março. Era época na qual as competições estavam paralisadas por conta da pandemia do novo coronavírus. O primeiro jogo, pelo Carioca, foi em 28 de junho.

Desde que chegou ao Vasco, Sá Pinto só teve três semanas cheias de treinos. Por suspensões, lesões, desfalques pela Covid-19 e escolhas, ele não repetiu a escalação uma vez sequer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: