Caminhada virtual e lives marcam os 16 anos da Chacina da Baixada

Dezesseis anos já se passaram, mas, para os parentes das vítimas da Chacina da Baixada, que aconteceu em 31 de março de 2005, a dor segue viva, assim como o desejo de ver a justiça finalmente sendo feita. Ao longo desta semana, uma série de eventos virtuais tenta manter viva a memória das 29 pessoas que foram assassinadas na região. A ONG com Causa, da Rede de Mães e do Fórum Grita Baixada, lidera o os protestos virtuais.

A caminhada nas ruas, na data da chacina, é um evento que acontece todos anos. Mas, devido à pandemia, em 2021 ela será apenas na internet, assim como os demais eventos sobre o crime. O coordenador de comunicação do Fórum Grita Baixada, Fabio Leon, reafirma a importância da realização do evento, mesmo com as restrições sanitárias impostas pela Covid-19.

O coordenador de comunicação do Fórum Grita Baixada, Fabio Leon
O coordenador de comunicação do Fórum Grita Baixada, Fabio Leon Foto: Domingos Peixoto

— A única forma encontrada para que a data continue na lembrança coletiva foi produzir uma campanha para as mídias sociais, para garantir a saúde das famílias das vítimas, que convivem com uma série de transtornos físicos e psicológicos por causa das perdas — explica Leon:

— Optar pelo evento virtual foi uma decisão muito difícil para elas (famílias), pois estar na rua, gritando por justiça e receber o apoio de moradores são algumas das formas que elas encontraram para reafirmar as suas lutas por justiça, e que elas são sobreviventes de um processo permanentemente doloroso provocado pelo estado.

Ontem, no primeiro dia de eventos, foi realizado o debate virtual “Desaparecimentos forçados e mortes violentas na Baixada Fluminense”. Hoje, às 19h, será exibido o programa “Baixada viva especial, episódio 7: Desaparecimentos forçados e a pandemia”. Já amanhã, data do trágico aniversário da chacina, será realizada a Caminhada virtual.

Meninos de Belford Roxo são lembrados

Além da Chacina da Baixada, os eventos desta semana lembrarão os três meses do desaparecimento de Lucas Matheus da Silva, de 8 anos, Alexandre da Silva, de 10, e Fernando Henrique Ribeiro, de 11, na comunidade Castelar, em Belford Roxo. Também entrará em pauta o assassinato das meninas Emily Victoria da Silva, de 4 anos, e Rebecca Beatriz Rodrigues Santos, de 7 anos, em Caxias, em dezembro do ano passado. As lives e os debates estarão disponíveis nas redes sociais do Fórum Grita Baixada.

Graças ao Disque-Denúncia, a investigação levou à denúncia contra 11 policiais militares pela Chacina da Baixada. Do grupo, cinco foram liberados por falta de provas. Dos seis restantes, um aceitou fazer delação premiada, mas, após um depoimento, foi assassinado na Zona Oeste do Rio. Os outros cinco foram condenados e penas de até 559 anos de prisão. Alguns já estão em liberdade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: