Câmara de Petrópolis elege nesta sexta-feira novo presidente que irá comandar o executivo

Vereadores eleitos tomam posse dos cargos e definem nesta sexta-feira (1º.01) a nova Mesa Diretora que ficará à frente do legislativo no biênio 2021/2022. Pelo menos quatro dos 15 parlamentares que serão empossados já manifestaram publicamente o interesse em disputar a cadeira de presidente da Casa: Hingo Hammes, atual presidente; Gilda Beatriz  e Marcelo Lessa, que foram reeleitos; e Yuri Moura, eleito vereador pela primeira vez este ano. O número de candidatos na disputa, no entanto, pode ser ampliado uma vez que mais vereadores podem apresentar a candidatura até o momento da eleição. Pesa na disputa a configuração política atual da cidade, que levará o novo presidente do legislativo a ocupar interinamente o cargo máximo do executivo, como prefeito.   

Excepcionalmente em 2021 o novo presidente da Câmara, assume  interinamente o cargo de prefeito  de Petrópolis porque Rubens Bomtempo – candidato mais votado na cidade –  está com os direitos políticos suspensos e não foi diplomado prefeito. Uma nova eleição será marcada pelo Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro. A data será definida após o recesso forense, que termina em 6 de janeiro.

O prefeito interino terá um desafio à parte, uma vez que, além da questão da pandemia e da crise econômica, o cenário político atual não permitiu a realização da transição de governo, que normalmente começa dois meses antes da troca de mandatos. As reuniões para transição de governo permitiriam que a equipe que irá assumir a gestão em 1º de janeiro conhecesse a realidade dos município e trocasse informações com a equipe que deixa o governo no dia 31 de dezembro.

Eleição será em sessão solene a partir das 13h30

A eleição será  realizada a partir das 13h30 em sessão solene na Casa Legislativa. Além do cargo de presidente, vereadores definem ocupantes de outros quatro cargos: 1º e 2º vice-presidentes e  1º e 2º secretários. As eleições acontecem de forma autônoma, com as candidaturas a cada uma dos cargos apresentada no momento da eleição. Qualquer dos eleitos poderá se candidatar a qualquer dos cargos. Com o presidente eleito seguindo para o cargo interino no comando do  Executivo, o 1º Vice-presidente assumirá, também de forma interina, a presidência da Câmara de Vereadores.

O atual presidente do Legislativo, Hingo Hammes lembra que quando se candidatou à presidência da Casa, em 2019, tinha o objetivo de resgatar a credibilidade do Legislativo.  “Queria trabalhar de forma independente, séria e responsável, usando o diálogo como principal ferramenta para a gestão da Casa, para trabalhar em projetos e ações em benefício da população e para acompanhar e fiscalizar as ações do Executivo. Fizemos muito, mas, num ano como o que vivemos, de pandemia, muita coisa acabou sendo adiada. Quero fazer mais. Sei que posso contribuir muito. As pessoas querem se sentir representadas por aqueles que elas elegem e levo isso muito a sério. É claro que toda essa questão relativa à Prefeitura nos preocupa. O presidente da Câmara eleito em 1° de janeiro terá a enorme responsabilidade de assumir a Prefeitura interinamente em meio à pandemia e em pleno verão, quando geralmente há maior volume de chuvas na Região Serrana. É uma responsabilidade que demanda não apenas experiência administrativa mas, principalmente, diálogo. É hora de nos unirmos para juntos, darmos nossa contribuição para a população, garantindo o pleno funcionamento dos serviços, sobre tudo na área de Saúde, que é a que mais nos preocupa no momento”, disse Hingo Hammes.

A candidatura de Gilda Beatriz foi oficializadas no dia 26, ocasião em que a vereadora lembrou que Petrópolis está enfrentando um dos momentos mais difíceis de sua história. –  Com a pandemia, os impactos das chuvas e a atual crise econômica que enfrentamos. Além disso, infelizmente, estamos vivendo uma instabilidade política gigantesca, com a possibilidade de novas eleições para Prefeito já no próximo ano. É exatamente neste momento que não podemos nos omitir e precisamos lutar pela nossa querida cidade. Coloco o meu nome à disposição para a Presidência da Câmara Municipal de Petrópolis e, consecutivamente, a prefeita Interina da nossa cidade. A decisão vem por entender que, em um momento difícil, precisamos trabalhar por aquilo que é mais importante: os nossos cidadãos e reafirmar o que ficou claro nas urnas, não podemos permitir a continuação do atual governo”, afirmou Gilda Beatriz.

Ao confirmar a candidatura ao Diário, Marcelo Lessa  destacou a crise na saúde e sua discordância com a gestão atual como motivadores de sua candidatura. “Acredito que Petrópolis enfrenta um momento muito difícil na saúde e também na parte financeira. Quem assumir a presidência da Câmara Municipal, e como consequência a Prefeitura precisa estar pronto para mudar o modelo de gestão que foi adotado nos últimos anos e pretendo fazer isso”, disse.

Já Yuri Moura lembrou que o Legislativo vai conduzir a cidade em um momento de crise sanitária, econômica, política e social.  “Tenho defendido um governo de coalizão, uma aliança entre o parlamento e a população para conseguirmos fazer a transição o mais rápido possível. Não podemos esperar para elaborar um plano de prioridades e gestão enquanto a cidade sofre com as chuvas, as filas nas UPAs, a falta de leitos nos hospitais, com o transporte público lotado e o desemprego em alta. Estou conversando com meus pares, defendo um consenso, que a gente forme no diálogo a Mesa Diretora antes do dia 1° de Janeiro, cumprindo apenas o rito após a posse. Caso esse consenso não ocorra serei candidato para defender o projeto de governo de coalizão. Petrópolis precisa de muita responsabilidade neste momento, não é hora para meros projetos partidários e eleitorais. Estou a disposição da minha cidade, 2021 não será fácil, e na condição de vereador mais votado quero dar o meu máximo junto de quem sonha com uma cidade de oportunidades”, destacou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: