Caixa faz apelo para evitar filas por auxílio emergencial

O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, pediu que os beneficiários que vão receber a nova rodada do auxílio emergencial deem prioridade aos canais digitais. Segundo ele, o uso do aplicativo Caixa Tem para movimentar o benefício é essencial para reduzir as filas nas agências em um momento de agravamento da pandemia de covid-19.

“Estamos vivendo um período muito sensível. Vamos realizar todos os pagamentos em abril e permitir a retirada nas lotéricas após quatro semanas. Além disso, temos um espaço de tempo entre o primeiro e o segundo ciclo de pagamentos, o que é importante para reduzir ao máximo as filas”, disse Guimarães em transmissão nessa 3ª feira (6.abr.2021).

De acordo com Guimarães, o aplicativo Caixa Tem, único meio atual para receber e fazer pagamentos com o auxílio emergencial, teve 2 milhões de downloads até o último dia 2. O presidente da Caixa afirmou que o objetivo é fazer o aplicativo funcionar como equivalente a um banco digital voltado para a população carente que não tinha conta em banco antes do auxílio.

Sobre as filas registradas nas agências da Caixa em pelo menos 5 Estados (Rio de Janeiro, São Paulo, Ceará, Pernambuco e Bahia), Guimarães disse que as aglomerações foram motivadas por pessoas que tentavam desbloquear o Caixa Tem. De hoje até 30 de abril, a 1ª das 4 parcelas da nova rodada do auxílio está sendo depositada nas contas poupança digitais da Caixa.

A 1ª parcela só poderá ser sacada em espécie ou transferida para uma conta-corrente no período de 4 de maio a 4 de junho, dependendo do mês de nascimento do beneficiário. Até lá, o auxílio poderá ser movimentado exclusivamente pelo Caixa Tem, que permite o pagamento de boletos, compras em lojas eletrônicas e o pagamento por meio de código QR (versão avançada do código de barras) em maquininhas de estabelecimentos conveniados com a Caixa.

NOVO AUXÍLIO EMERGENCIAL

Cerca de 45,6 milhões de brasileiros terão direito a receber a nova rodada de pagamentos. O benefício terá parcelas de R$ 150 a R$ 375, dependendo da composição familiar.

Nessa 1ª etapa de pagamentos, iniciada na 3ª feira (6.abr), são 2,36 milhões de famílias aptas a receber o dinheiro, de acordo com o Ministério da Cidadania. Elas são compostas por trabalhadores informais nascidos em janeiro e que não sejam beneficiários do Bolsa Família.

Na 6ª feira (9.abr.2021), o pagamento será feito aos beneficiários que nasceram em fevereiro.

Os trabalhadores que são inscritos no Bolsa Família começam a receber o auxílio em 16 de abril. Os inscritos podem sacar diretamente o dinheiro nos 10 últimos dias úteis de cada mês, com base no dígito final do NIS (Número de Inscrição Social). O auxílio emergencial somente será pago quando o valor for superior ao benefício do programa social.

 O beneficiário pode verificar aqui (856 KB) o calendário completo de pagamentos.

Pelo novo desenho, o governo vai pagar 4 parcelas –de R$ 150 a R$ 375– a 45,6 milhões de pessoas. Eis a divisão:

  • R$ 150 – quem mora sozinho;
  • R$ 250 – famílias com mais de um integrante;
  • R$ 375 – mulheres que são as únicas provedoras de suas famílias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: