Cabo diz que expulsão cedo gerou postura defensiva e nega descontrole emocional: “O Vasco é equilibrado”

A expulsão de Bruno Gomes aos cinco minutos do primeiro tempo comprometeu o planejamento do Vasco no jogo contra o Goiás, na opinião de Marcelo Cabo. Para o treinador, com um jogador a menos, a equipe precisou ter postura defensiva na derrota por 1 a 0, na noite desta quarta-feira, a quarta em oito jogos na Série B. O comandante, entretanto, não concordou que a sua equipe tenha tido descontrole emocional: Juninho foi expulso ao final da partida, e Galarza, Léo Jabá e Morato (este no banco de reservas) levaram o terceiro amarelo, o que indica um total de cinco suspenso para o jogo diante do Confiança.

– Acho difícil você comandar um jogo fora de casa com um jogador a menos desde os cinco minutos. Tem de mudar a proposta de jogo. Não enxergo no futebol uma equipe com inferioridade numérica comandar o jogo. Foi assim que o jogo se desenhou. Quando a gente joga em casa, você nunca viu termos problema de banco para banco. Foi o momento do jogo. Espero que isso fique no campo. A equipe do Vasco é equilibrada. Até o jogo de hoje, não sofremos muitos cartões. Só tivemos o Bruno expulso nos jogos. Estamos atentos e vamos trabalhar internamente. O Bruno tem 19 anos e é um atleta em formação. Vamos tratar para que isso não mais ocorra – avaliou Cabo.

Marcelo Cabo lamentou a derrota do Vasco — Foto: Heber Gomes/AGIF

Embora não tenha afirmado, Cabo deu a entender que um lance de Dadá, que passou o pé por cima da bola, incomodou os jogadores do Vasco. Ao final do jogo, houve muita discussão entre os atletas dos dois times.

– Não entendi o que aconteceu ao final, parece que um jogador do Goiás tomou algumas decisões que os nossos jogadores não gostaram. Houve uma confusão. Tentamos tirar os jogadores para não perdermos eles. Perdemos o Galarza e o Jabá com amarelos. O Morato lesionou e aí ele tomou o terceiro amarelo no banco. Ainda não entendi a confusão no pós-jogo, verei a súmula depois – complementou Cabo.

Com o resultado, o Vasco perdeu duas posições. É o oitavo, com com 10 pontos. A equipe volta a campo no próximo sábado, quando recebe o Confiança em São Januário, às 16h30 (de Brasília), pela nona rodada da Série B.

Confira outras declarações de Marcelo Cabo

Controle emocional

– A expulsão do Bruno não tem nada a ver com controle emocional. No segundo amarelo, ele disputa a bola e tem de apoiar o pé em algum lugar. Calha de ser no pé do jogador do Goiás. O segundo amarelo acabou sendo muito rigoroso e interferiu completamente no jogo. O árbitro perdeu um pouco o critério dos cartões, teve um pouco de dois pesos e duas medidas. No final do jogo, o Juninho tomou o vermelho ao final do jogo. Galarza e Jabá foram faltas de jogo e levaram amarelos. O Morato já estaria lesionado e já estaria fora do jogo. Por vezes, é difícil. Eu tento controlar as ações emocionais, mas as questões do jogo faz o atleta se exaltar. A única exceção foi o Juninho. O Bruno foi coisa de jogo.

Pontuação baixa na Série B

– Eu trato o jogo de hoje como atípico. Preciso falar da nossa organização com um a menos. Tivemos entrega. O Goiás não teve tantas chances, nós conseguimos algumas transições. Se o confronto fosse 11 contra 11, talvez fosse diferente. Infelizmente, sofremos o gol. Vamos continuar trabalhando. Temos três dias para organizar o time.

Desfalques

– A gente perde alguns jogadores, mas teremos o Zeca, o Riquelme e o Marquinhos Gabriel de volta. Vou pensar no time a partir de amanhã. Perdi o Jabá e o Morato, mas tenho o Pec.

Saída de Cano

– A saída dele foi por conta do desgaste no jogo. Com um a menos, ele teve de participar mais da marcação e da transição. O ritmo dele caiu, tínhamos a preocupação de uma lesão. Por isso, ele saiu. Coloquei o Daniel para ter um jogador que retivesse mais a bola na frente e me desse a melhora da bola parada ofensiva.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: