Brasileira que usou barriga de aluguel na Ucrânia lutou para conhecer a filha em meio à pandemia

A chegada de uma criança em uma família, normalmente, vem acompanhada de muita alegria. Com Camila Pavan e Adriano Garbelin não foi diferente. Mas o processo até o casal conseguir chegar em casa com a recém-nascida Pietra foi sofrido e cansativo.

A criadora de conteúdo precisou ir até a Ucrânia, no meio da pandemia do coronavírus, enfrentando inúmeras incertezas, para ver o nascimento da sua filha gestada em uma barriga de aluguel.

 

Após uma década de tratamentos para infertilidade e dois abortos espontâneos, o sonho do casal só se concretizou em junho do ano passado. Aos nove anos de idade, Camila foi diagnosticada atrofia muscular espinhal (AME) e por conta da doença passou por inúmeros tratamentos para tentar engravidar.

Camila e Adriano recorreram a todos os métodos possíveis. “Pensamos na adoção, mas o tempo de espera e os trâmites nos deixaram inseguros”, conta a produtora de conteúdo. Antes de contratar uma barriga de aluguel, o casal tentou engravidar por meio de barriga solidária. A irmã de Adriano se ofereceu para ajudar o casal, mas o processo não deu certo: o óvulo fecundado ficou preso na trompa e o bebê não resistiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: