fbpx

Brasil vence o Japão e vai às quartas de final do Mundial de Futsal

Foi dramático, suado e sofrido, numa partida digna de mata-mata de Copa do Mundo. Depois de sair atrás no marcador no duelo contra o Japão pelas oitavas de final, o Brasil conseguiu o empate ainda no primeiro tempo. Veio o segundo tempo, e a seleção foi para a virada, chegando a fazer 3 a 1. Só que o Japão diminuiu, tornando o final de partida dramático até o gol libertador de Gadeia. O placar de 4 a 2 recoloca o Brasil nas quartas de final do Mundial após nove anos.

O adversário será o Marrocos e a partida será no domingo na cidade de Vilnius, com transmissão da Globo, SporTV e tempo real no ge. Além de Gadeia, marcaram para a seleção brasileira: Ferrão, Leozinho e Pito. Hoshi e Nishitani descontaram para os japoneses, que tinham três atletas com nacionalidade brasileira na sua equipe.

Rodrigo e Ferrão vibram com um dos gols do Brasil — Foto: Angel Martinez/FIFA

Japão na frente

A primeira finalização do jogo foi do Japão, um chute de Shimizu, que pegou na rede pelo lado de fora. Aos dois minutos, Ferrão respondeu para o Brasil concluindo por cima da meta defendida por Higor. Aos três, aconteceu o que a seleção brasileira tanto temia, pois Hoshi arriscou de longe, e Guitta acabou levando um frangaço ao tentar segurar a bola: 1 a 0 para o Japão.https://tpc.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

Gadeia recebe a marcação de Rafael Henmi — Foto: Oliver Hardt/FIFA

O Brasil acordou depois do gol e o empate não demorou a sair. Aos quatro, Ferrão girou para cima de Hoshi e bateu forte para fazer 1 a 1. Um minuto depois, Rodrigo teve a chance da virada, mas o goleiro Higor conseguiu evitar o gol com o pé. Aos 10, foi a vez de Dieguinho chutar para mais uma defesa do goleiro brasileiro naturalizado japonês.

Brasil pressiona, mas sem organização

Dois minutos depois, Leandro Lino tentou acertar o canto, e Higor foi buscar. Aos 13, Rocha bateu em gol, e a bola sobrou limpa para Rodrigo. O capitão bateu de primeira, mas a defesa japonesa conseguiu salvar o perigo. Aos 15, o Japão voltou a levar perigo num chute frontal de Shimizu. Atento, Guitta deu leve desvio, e a bola tocou na trave.

Ferrão disputa a bola com o japonês Minamoto — Foto: Angel Martinez/FIFA

Dois minutos depois, Ferrão chutou da entrada da área, Higor deu rebote, e Marlon completou de cabeça para mais uma defesa do goleiro japonês. Mesmo com pouca movimentação dos seus jogadores, o Brasil seguiu pressionando até o fim do primeiro tempo. No último lance de perigo da etapa, Leozinho recebeu na direita da área e bateu em gol duas vezes, a última delas para fora.

Pressão brasileira

O Brasil iniciou o segundo tempo pressionando, e, com 40 segundos, Dyego quase marcou em cobrança de falta em dois toques. No lance seguinte, Rodrigo avançou pela direita e chutou rente ao poste. Aos quatro, Gadeia bateu da ala-esquerda, e Higor foi buscar. Segundos depois, foi a vez de Pito sair na cara do gol e tocar para fora.

Aos cinco, Guitta arrancou até o ataque e soltou a bomba. A bola foi afastada pela defesa japonesa, gerando o contra-golpe. Na jogada, Shimizu avançou em velocidade e tocou para fora, sendo atrapalhado por Marlon, que estava quase em cima da linha. O jogo seguiu dramático pelos minutos seguintes. Aos sete, Marlon recebeu cara a cara com Higor e fez a cavadinha. A bola foi para fora.

O goleiro Higor divide com Leozinho e evita o gol brasileiro — Foto: Angel Martinez/FIFA

Leozinho vira

Aos nove, Guitta fez defesa espetacular ao voar no ângulo e desviar bola chutada por Murota. Dois minutos depois, enfim, o Brasil conseguiu chegar ao segundo gol. Após passe de Pito, Leozinho driblou Higor e tocou quase sem ângulo para marcar 2 a 1. Apesar da vantagem brasileira, o jogo seguiu dramático pelos minutos seguintes. Aos 14, Arthur Oliveira invadiu a área e dividiu com Ferrão. O Japão pediu desafio de vídeo para checar um possível pênalti, mas a arbitragem nada constatou na revisão.

A cinco minutos do fim, o Brasil cometeu a sua quinta falta no segundo tempo, estourando o seu limite para os minutos restantes e para uma eventual prorrogação. Aos 17, Hoshi apareceu livre na área brasileira, mas errou o chute. A chance desperdiçada custou caro ao Japão. No lance seguinte, Pito recebeu lindo lançamento de Marlon, tirou de Higor e empurrou para o gol: 3 a 1.

O Japão não desistiu, e, logo depois da saída, Nishtitani diminuiu para 3 a 2. A pouco mais de um minuto para o fim, os japoneses ainda arriscaram o goleiro-linha, mas o Brasil se segurou atrás, suportando a pressão. Para sacramentar de vez a classificação, Gadeia fechou o placar no último lance do jogo, carimbando o passaporte às quartas de final. Que venha o Marrocos.

Brasil: Guitta, Rodrigo, Gadeia, Dyego e Ferrão. Entraram: Marlon, Bruno, Leandro Lino, Leozinho, Rocha, Pito, Arthur e Dieguinho. Técnico: Marquinhos Xavier.

Japão: Higor, Shimizu, Rafael Henmi, Nishtitani e Arthur Oliveira. Entraram: Hoshi, Yagi, Minamoto, Murota, Kato, Hoshi e Morimura. Técnico: Bruno Garcia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: