Brasil cai em ranking de liberdade de imprensa e entra em “zona vermelha”

O Brasil caiu 4 posições no Ranking Mundial de Liberdade de Imprensa, publicado anualmente pela ONG Repórteres sem Fronteiras. O país aparece no 111º lugar na edição 2021 da lista, divulgada nesta 3ª feira (20.abr.2021).

Trata-se do 4º ano consecutivo em que o Brasil desce na classificação. Em 2018, estava na 102ª posição. A situação da liberdade de imprensa no país foi classificada como a 8ª pior das Américas, à frente apenas de Cuba, Honduras, Venezuela, México, Colômbia, Nicarágua e Guatemala.

Pela 1ª vez em 20 anos, o país saiu da “zona laranja” e entrou na “zona vermelha” do levantamento, na qual a situação para o trabalho da imprensa é considerada mais difícil.

O presidente Jair Bolsonaro conversa com jornalistas na rampa do Palácio do Planalto, em Brasília

O relatório analisa que um dos motivos para a limitação à liberdade de imprensa no Brasil é um “cenário de concentração excessiva da propriedade de meios de comunicação, o que prejudica a qualidade do pluralismo e da diversidade do horizonte midiático”.

De acordo com a pesquisa, 73% dos 180 países avaliados apresentam situações consideradas “muito graves”“difíceis” ou “problemáticas” para a profissão.

Para a ONG, o exercício do jornalismo, está parcialmente ou totalmente limitado em mais de 130 países, num momento em que a crise sanitária acrescenta obstáculos à cobertura do noticiário.

Os 4 primeiros colocados são da Escandinávia. A Noruega aparece em 1º lugar, posição que ocupa desde 2017. A Finlândia está em 2º, seguida de Suécia e Dinamarca.

Os países com a pior classificação são Eritreia (180º), Coreia do Norte (179º), Turcomenistão (178º), China (177º) e Djibuti (176º).

Eis os primeiros 12 países do ranking:

  • 1. Noruega
  • 2. Finlândia
  • 3. Suécia
  • 4. Dinamarca
  • 5. Costa Rica
  • 6. Holanda
  • 7. Jamaica
  • 8. Nova Zelândia
  • 9. Portugal
  • 10. Suíça
  • 11. Bélgica
  • 12. Irlanda

Eis os últimos 12 países do ranking:

  • 180. Eritreia
  • 181. Coréia do Norte
  • 182. Turcomenistão
  • 183. China
  • 184. Djibouti
  • 185. Vietnã
  • 186. Irã
  • 187. Síria
  • 188. Laos
  • 189. Cuba
  • 190. Arábia Saudita
  • 191. Iêmen

Publicada desde 2002, a pesquisa avalia as condições para o exercício do jornalismo. A pontuação dada a cada nação é estabelecida por meio de entrevistas com especialistas de todo o mundo em mais de 20 idiomas.

Segundo a RSF, o Ranking Mundial da Liberdade de Imprensa representa “instrumento de defesa essencial”. Eis os critérios utilizados:

  • pluralismo;
  • independência das mídias;
  • ambiente e autocensura;
  • arcabouço legal;
  • transparência;
  • qualidade da infraestrutura de suporte à produção da informação; e
  • violência contra a imprensa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: