Brant descarta se unir a Salgado e desafia Leven na eleição do Vasco: “Vamos brigar pelo voto”

Após alguns candidatos à presidência se manifestarem, Julio Brant, da Sempre Vasco, falou, na tarde desta terça-feira, sobre o tumultuado processo eleitoral do Vasco. Em entrevista coletiva, ao lado de seus pares, acompanhada pelo ex-jogador Edmundo, Julio, terceiro mais votado no pleito feito em São Januário, confirmou a participação na eleição online, no próximo sábado, convocou os sócios a participarem, descartou se unir a Jorge Salgado (Mais Vasco) e desafiou Leven Siano (Somamos), que se considera presidente eleito, a brigar pelos votos.

– Lamento (a desistência do Leven em concorrer na eleição online). Pois ele vai perder para a gente. Espero que ele pare de falar e que brigue pelo voto que realmente vale. Leven, vem concorrer comigo. Vamos brigar pelo voto. Essa é a postura de quem realmente aceita ganhar ou perder. Todos têm de respeitar as regras do jogo e os adversários – disse Julio Brant.

Jaime, Renato Britto, Julio Brant e Dias (Sempre Vasco) — Foto: Hector Werlang

Em entrevista, Leven disse se recusar a participar da eleição online por se considerar vencedor. Alexandre Campello, atual presidente, tomou a mesma decisão para, segundo ele, dar isenção ao pleito. O pleito online de sábado, convocado por Faues Cherene Jassus, o Mussa, está de pé após o presencial de São Januário ter sido suspenso em decisão do STJ.

Questionado sobre eventualmente se unir a Jorge Salgado, Brant negou que vá abrir mão da candidatura:

– Conversar faz parte do processo. O Jorge é gentil, de alto nível. Eu também me considero assim. Conversamos sobre o processo. Isso sempre foi no intuito de organizar o processo eleitoral do que abrir aqui ou ali. Não foi a intenção. Neste momento, não tenho a possibilidade de abrir. Digo no momento porque não posso falar pelos outros. Eu vou concorrer no sábado. Não posso falar pelo Salgado.

Julio, ao justificar a decisão de deixar São Januário, no sábado, após a decisão do STJ, criticou Leven:

– A noite (de sábado) terminou com violência e com um show patético de um candidato. Ele (Leven Siano) ridicularizou o Vasco. Fez um papel ridículo agredindo a mim e ao presidente do Vasco (Alexandre Campello) em São Januário. No meio do futebol, o discurso dele gera risadas. Quando houve a comunicação (da Justiça), eu aguardei a decisão do presidente Mussa. Quando ele comunicou a suspensão, eu cumpri. Retirei a minha equipe e as minhas cédulas. É o que queria explicar e convoco o sócio a votar no sábado.

Por fim, Brant disse que a desistência de Campello não vai interferir no processo. E também criticou a gestão do presidente e disse entender que a transição não terá problemas.

– Não penso que haverá impacto algum. Desejo sorte para ele. O mandato dele termina como começou: melancólico. Os votos devem ir para o melhor candidato. Esses 316 votos irão para o melhor candidato, e eu me considero o melhor. Sempre respeitei o Campello. Quando perdi a eleição, a primeira coisa que fiz foi cumprimentá-lo. São dois momentos. Após a eleição, o que está acima é o Vasco. A transição será produtiva.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: