Botafogo negocia com três fornecedoras esportivas; prazo para ter uniformes em 2023 é curto

Após fazer processo de concorrência com 20 empresas, o Botafogo chegou a três propostas finais de fornecedoras de material esportivo para 2023. Embora o prazo seja considerado curto para estrear uniforme no início da próxima temporada, o clube não trata o assunto com urgência.

O caminho até a definição das marcas – cujos nomes são guardados em sigilo por John Textor, acionista majoritário do Botafogo, e sua equipe – foi realizado pelos profissionais que conduziram o mesmo processo no Crystal Palace, clube inglês em que empresário também tem participação. Na semana passada, os britânicos anunciaram a troca da Puma pela italiana Macron.

O foco das negociações não se encontra apenas nos valores: a distribuição global e a flexibilidade no design das peças são as prioridades neste momento. A abrangência internacional, inclusive, foi uma das justificativas utilizadas por Textor para o rompimento do contrato com a Volt, que produziria os uniformes para o Botafogo neste ano. Na ocasião, o empresário aproveitou para encerrar vínculos com empresas que estampavam a camisa do time.

Outros temas, como tempo de produção e entrega, também são tratados com cuidado pela equipe que conduz as negociações. Isso porque o prazo para lançar o material no início da próxima temporada está cada vez mais apertado.

A reportagem de ge consultou profissionais dos departamentos de marketing de clubes da Série A do Brasileirão para entender o processo de criação de uniformes com fornecedoras internacionais, como Umbro, Adidas e Nike. A resposta foi unânime: entre oito e seis meses após aprovação dos modelos pelo clube.

Para se ter uma ideia, já há uniformes da Adidas sendo produzidos para a temporada de 2023. Embora admita que pretende bater o martelo o quanto antes, o Botafogo não pretende fechar negócio por pressão de prazos.

Enquanto isso, o time de Luís Castro seguirá vestindo peças de produção própria nos jogos. À torcida, foram lançadas coleções alternativas, como a “Linha Street”, anunciada na última sexta, e duas linhas retrô: uma em alusão aos anos de 1942, 1962 e 1995 e outra em homenagem ao ídolo alvinegro Nilton Santos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.