fbpx

Botafogo mostra repertório variado e muda astral para sequência da temporada

A esperança do torcedor alvinegro está restaurada. O responsável por isso? Marcelo Chamusca. Em seu terceiro jogo à frente do Botafogo, o treinador indica um caminho de mais identidade para o time, que passou com maestria pelo Moto Club na noite da última quarta-feira ao golear o adversário maranhense por 5 a 0 e avançar à próxima fase da Copa do Brasil.

Foi o primeiro desafio do clube na temporada. Afinal, vencer o Moto Club estava além da classificação: a permanência na Copa do Brasil garantiu mais R$ 1,35 milhão ao Botafogo, que já havia recebido R$ 1,15 mi por jogar a primeira fase.

Botafogo atropela o Moto Club e avança na Copa do Brasil — Foto: Vitor Silva/Botafogo

A fragilidade do adversário é um ponto a ser levado em consideração. O Moto Club não apresentou perigo ao Botafogo em casa. Não ofereceu nenhum tipo de resistência e jogou com um a menos desde os 18 minutos do segundo tempo. Porém, isso não interferiu na vitória, já que a essa altura o Bota já vencia por 3 a 0.

Por outro lado, o time alvinegro tem seu mérito. Primeiro por ter conseguido o gol ainda cedo na partida. Com dois minutos, Pedro Castro cobrou falta com excelência e fez um golaço. O último gol de falta do Botafogo foi marcado em 5 de setembro de 2020, por Bruno Nazario, no empate em 2 a 2 com o Corinthians, pelo Brasileirão.

O gol logo no início fez o Botafogo se soltar mais para mostrar a cara de Chamusca no Castelão. Assim como aconteceu contra o Resende, o time foi vertical e objetivo desde o início, aproveitando bem da velocidade dos atacantes e com boa movimentação, o que não acontecia há um tempo.

Melhores momentos: Moto Club 0 x 5 Botafogo pela primeira fase da Copa do Brasil

A confiança para arriscar e tomar as rédeas é outra agora. O Botafogo dominou o meio de campo e teve liberdade para construir as jogadas ofensivas. A construção que faltou na temporada passada ganha corpo com Chamusca, seja na zona central ou nos lados do campo. Jogando desde trás, o Bota conseguiu envolver o adversário e colocar a bola no chão.

Se Pedro Castro vinha de ótima estreia e fez golaço em seu segundo jogo, Matheus Babi reestreou com a camisa do Botafogo e manteve a pegada diante do Moto Club. Depois de dois gols no último domingo, o centroavante aproveitou o caminho livre para se reafirmar. Sofreu pênalti em jogada individual e ampliou o placar na cobrança. Ambidestro e com boa mobilidade, o atacante não se atém à posição de referência e transita bastante no campo de ataque.

Mas nem o volante nem o centroavante alcançaram o posto de principal destaque da goleada. Warley saiu de campo com a bola embaixo do braço. Com um gol e uma assistência, o atacante atuou pelos dois lados do campo e ditou o ritmo do ataque alvinegro. Ênio, que substituiu Ronald ainda na primeira etapa, também foi decisivo e marcou pela primeira vez no profissional. Ainda imaturo, o atacante toma decisões erradas, mas é uma boa aposta do clube e tende a ganhar confiança.

O quinto gol apresentou mais um reforço para a torcida: Matheus Frizzo fez um golaço de voleio e não ficou só aí. O meio-campista apresentou bom toque de bola e mobilidade. Até o momento, o Botafogo parece ter sido assertivo no mercado. Outro estreante, o atacante Marcinho foi discreto.

Matheus Frizzo marca de voleio em Moto Club x Botafogo — Foto: Vitor Silva/Botafogo

Na verdade o time ainda está em processo de adaptação e erra em muitos momentos. Por isso, o início de temporada tem sido usado para testes e adequações. Uma análise mais criteriosa poderá ser feita quando o Botafogo encontrar adversários mais fortes e preparados. De qualquer forma, o passeio sobre o Moto Club muda o astral de jogadores e torcida e dá tranquilidade para seguir o caminho.

Os resultados recentes – 3 a 0 contra o Resende e 5 a 0 contra o Moto Club – são importantes para a “pré-temporada” do Botafogo. Com os placares adiantados no primeiro tempo, Chamusca teve liberdade para mudar o time e fazer testes. Como o próprio técnico disse, ele está trocando o pneu com o carro em movimento. E está mandando bem no desafio.

Chamusca nos apresenta uma equipe com estilo e que está criando sua identidade para a temporada. Contra o Moto Club, impressionou a variedade tática do Botafogo, que apostou no jogo de velocidade e mostrou um repertório diverso de jogadas. Teve gol de bola parada, no contra-ataque, com bola roubada no ataque, jogadas pelo meio e pelos lados. O técnico consegue em pouco tempo colocar o time no caminho que ele quer. E importante: ainda sem sofrer gols nos três jogos da temporada.

A empolgação é justa, mas é hora de ter paciência. O Botafogo está em processo de reformulação, e a prioridade de Chamusca é montar uma equipe. É criar entrosamento e competitividade. Ainda vai fazer muitos testes, o que continuaremos a observar no próximo sábado, quando o time enfrentará o Bangu, às 21h15, no Nilton Santos, pela terceira rodada da Taça Guanabara.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: