Botafogo aguarda respostas e quer técnico para fechar planejamento da temporada 2021

O Botafogo tem pressa para definir o novo técnico, mas ainda aguarda uma resposta dos nomes que foram procurados para comandar o clube na temporada 2021. A chegada do treinador é fundamental para a sequência do planejamento que vai definir a identidade do time nos próximos meses.

O que falta para anunciar o novo técnico?

Diferentemente do que se pensava, o clube mira alto no mercado e foi atrás de técnicos com trabalhos mais conhecidos e que, consequentemente, custam mais caro. O entendimento é que um nome de peso pode impactar o vestiário mais rapidamente.

Para se ter uma ideia de como o Botafogo age, um dos nomes consultados pela diretoria foi o de Fernando Diniz, que fez bom trabalho no São Paulo em determinado período da última temporada e tem mercado na Série A. A negociação não avançou.

A princípio, o Botafogo enumerou nomes com mais experiência e cobiçados no mercado. Dois recusaram, e outras conversas seguem. A dificuldade na negociação está no fato de a temporada 2020 ainda estar em andamento, assim alguns técnicos aguardam possibilidades na Série A e pedem prazo maior para uma resposta à diretoria alvinegra.

Mas a paciência está acabando. A ideia é ter um acordo selado até o fim desta semana, mas com o Brasileirão terminando só no dia 25 de fevereiro, a resposta pode não chegar. Caso essas opções não se concretizem, o Botafogo tem plano B com nomes mais “acessíveis”.

Diretoria do Botafogo mira alto no mercado em busca de técnicos  — Foto: Vitor Silva/Botafogo

Planejamento depende do comandante

A urgência de escolher o novo treinador tem a ver com a sequência do planejamento para a disputa da Série B do Brasileirão. O Botafogo já encaminhou a reformulação do elenco, com dispensas e contratações, mas depende do comandante para definir os principais nomes.

A diretoria já iniciou conversas pela vinda de reforços e tem três nomes encaminhados: o lateral-direito Jonathan, o volante Matheus Frizzo e o atacante Ronald. Ainda negocia com o zagueiro Gilvan e o atacante Robson. A ideia inicial é de buscar atletas para compor o elenco e reforçar posições carentes, mas a cara desse time será moldada a partir do pensamento do técnico.

Não só as contratações, mas o treinador também participará das decisões sobre quem deixa o clube. Algumas situações já foram encaminhadas e atletas já saíram ou estão afastados aguardando o fim do vínculo, mas o Botafogo pretende fazer outros acordos e, por isso, precisa da participação do técnico.

Uma das situações em análise é a de Bruno Nazário. O meia renovou até junho de 2021, mas o clube tem o interesse de liberá-lo ao fim do Brasileiro. Não houve ainda uma conversa com o agente do jogador, mas entende-se que o melhor caminho para ele seria encontrar outro clube. O lateral-esquerdo Guilherme Santos, com vínculo se encerrando neste mês, tem a possibilidade de renovação estudada.

Com o pouco tempo entre o fim do Brasileirão 2020 e o início do Campeonato Carioca 2021, o Botafogo terá que correr para adequar o elenco aos desejos do comandante, que, por outro lado, vai precisar de tempo para adaptação, entrosamento e desenvolvimento da filosofia de trabalho.

O regulamento do Estadual prevê multa para o clube que não escalar seus titulares a partir da quarta rodada da competição. Assim, o Botafogo teria a opção de aproveitar os primeiros jogos para laboratório dos jovens e reservas enquanto prepara a equipe principal para a sequência da temporada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: