Bolsonaro perde 4 em cada 10 votos que teve no segundo turno de 2018, diz Datafolha

RIO — Pesquisa Datafolha, divulgada nesta sexta-feira pelo jornal “Folha de S. Paulo”, aponta que quatro em cada dez apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (PL) na eleição de 2018 dizem que não vão repetir o voto em 2022. Entre os eleitores que votaram em Bolsonaro contra Haddad, 63% afirmam que vão repetir o voto em 2022 em caso de segundo turno com Lula.

Ainda segundo o Datafolha, Lula conquista 26% dos antigos apoiadores de Bolsonaro, enquanto 10% votariam nulo ou branco. Ou seja, um em cada quatro eleitores que rejeitaram o candidato do PT em 2018 estão dispostos a apoiar o nome do partido agora.

Entre os eleitores que votaram em Haddad no segundo turno da eleição passada, 95% dizem que agora vão de Lula. Apenas 2% mudaram de ideia e aformam que pretendem apoiar o presidente em 2022.

O Datafolha também levantou a migração de votos no caso de segundo turno, hoje improvável, entre Lula e o ex-ministro Sergio Moro (Podemos). De acordo com a pesquisa, a maioria dos apoiadores de Bolsonaro em 2018 votaria no ex-juiz da Lava-Jato, que receberia 54% dos votos dos bolsonaristas, exatamente o dobro dos destinados ao petista, 27%.

Lula tem 91% das intenções de voto entre os entrevistados que se declaram petistas. Entre eleitores do PSOL, tem 63%, e do MDB, 29%. Curiosamente, o petista também obtém percentual relevante entre eleitores que disseram preferir o PSDB (11% das preferências) e o PL de Bolsonaro (10%).

Doria fica atrás de Moro entre tucanos

Entre os eleitores que se declaram tucanos, Doria fica atrás até de Moro, que acaba de entrar na disputa, e conta com o apoio de 25% dos pesquisados, enquanto Doria só tem 15%.

A pesquisa foi feita presencialmente de 13 a 16 de dezembro e ouviu 3.666 pessoas, maiores de 16 anos, em 191 cidades. A margem de erro é de dois pontos para menos ou para mais.

O Datafolha que mostra ainda que Bolsonaro mantém o pior nível de avaliação de seu governo neste final de mandato: 53% dos brasileiros reprovam o modo como ele administra o país. Os dados mostram estabilidade em relação à pesquisa anterior, realizada de 13 a 15 de setembro. Dos entrevistados, 22% avaliam o governo Bolsonaro como bom ou ótimo, enquanto 24% o consideram regular. Já 1% não opina.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.