Bento Albuquerque sairá de férias em meio a crise hídrica

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, deve embarcar para a Itália no dia 20 de julho, onde participará da Sessão Ministerial Conjunta de Clima e Energia do G20.

As reuniões ministeriais são organizadas independentemente da cúpula do G20. Na cúpula, os chefes de Estado vão avaliar as propostas elaboradas pelos ministros. O evento com os líderes do G20 será realizado também na Itália, em outubro.

Pouco depois de retornar da Europa, de 6 a 12 de agosto, o ministro sairá de férias. Em 14 de agosto, a agenda de Albuquerque prevê uma nova viagem. Dessa vez, ele irá para os Estados Unidos, onde participará de eventos relacionados ao setor.

Quando Albuquerque estiver fora do país ou em férias, quem assume é a secretária-executiva, Marisete Pereira.

A ausência do ministro acontece em meio a maior crise hídrica dos últimos 91 anos.

CRISE

A pasta tem procurado alternativas para combater a crise hídrica. Segundo especialistas, o risco de apagão é iminente. De acordo com um cálculo feito pelo CBIE Advisory (Centro Brasileiro de Infraestrutura), a falta de energia deve acontecer se a média de chuvas a longo prazo ficar abaixo dos 61,5%.

Já Albuquerque nega a possibilidade de apagão e racionamento. No entanto, em pronunciamento em rede nacional, no mês passado, ele pediu à população que economize energia e água.

Na tentativa de conter a falta de energia, o Senado aprovou nessa 3ª feira (13.jul) a criação de uma comissão temporária. O comitê será composto por 11 membros titulares e 11 suplentes e tem prazo de funcionamento de 180 dias.

O grupo deve acompanhar a atuação da Creg (Câmara de Regras Excepcionais para Gestão Hidroenergética), presidida por Albuquerque. Os membros também irão propor soluções que garantam a segurança energética e a modicidade tarifária do SEB (Sistema Elétrico Brasileiro).

O Ministério de Minas e Energia também está elaborando um programa para incentivar empresas a mudarem o horário de consumo. A adesão à medida, criada em conjunto com indústrias, será voluntária.

RESPOSTA

Procurado pela Folha de S.Paulo para esclarecimento sobre a ausência do ministro, o Ministério de Minas e Energia garantiu que, “mesmo em viagem a serviço ou em férias regulamentares no Rio de Janeiro, o ministro continuará atento e acompanhando todos os desdobramentos da atual conjuntura e, a qualquer momento em que se faça necessária a sua presença, interromperá a viagem / férias, aliás, como já ocorreu em ocasiões anteriores“.

A pasta ainda citou a divulgação da 2ª rodada de excedentes da cessão onerosa, que será feita por Albuquerque durante suas viagens. Esse é o 2º maior leilão de petróleo e gás do mundo.

A oferta dos blocos de Sépia e Atapu, no pré-sal da Bacia de Santos, deve acontecer em dezembro. O ministério considera que essa é uma “oportunidade ímpar para os investidores estrangeiros, demonstrando haver, no Brasil, ambiente regulatório com elevado grau de maturidade”.

O governo afirma que vem atuando desde 2020 no enfrentamento da crise hídrica. Algumas das medidas nesse sentido foram a autorização do uso de todo o parque térmico disponível, independentemente do preço da energia, e a possibilidade de contratação de usinas sem contrato e de importações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: