B20 Brasil e G20 realizam evento sobre mulheres no comércio internacional

O B20 Brasil realizará, nesta terça-feira (23/4), a partir das 13h,  em Brasília, o workshop Mulheres no Comércio Internacional. Esse é o primeiro evento feito em colaboração com o G20 para discutir os desafios enfrentados pelas mulheres no comércio internacional. Realizado no auditório da Confederação Nacional da Indústria (CNI), o workshop reunirá líderes, membros e parceiros do B20 e do G20, com o objetivo de iniciar diálogos significativos para o setor.

A secretária de Comércio Exterior do Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços, Tatiana Prazeres, participará da abertura, ao lado de Constanza Negri – Sherpa do B20 Brasil, Marion Jansen, diretora de Comércio e Agricultura da OECD, e Janaina Gama, do W20 Brasil. A oficina marcará o início das discussões para identificar os desafios de empresas lideradas por mulheres no comércio internacional. O evento também vai oferecer perspectivas significativas aos governos das 20 principais economias do mundo, que fazem parte do G20.

O tema também é uma das pautas prioritárias do Grupo de Trabalho de Comércio e Investimentos do G20, coordenado por Tatiana e pelo embaixador Fernando Pimentel, do MRE. O GT se reunirá nos próximos dias 24 e 25, na sede do G20, em Brasília. A partir da identificação dos desafios enfrentados pelas mulheres no comércio internacional por parte do B20, o grupo  irá elaborar um compêndio de melhores práticas adotadas pelos países para mitigar as disparidades de gênero no comércio exterior.

Desafios — Empresas lideradas por mulheres ainda enfrentam desafios para acessar mercados estrangeiros e aproveitar as oportunidades. De acordo com o Centro de Comércio Internacional (ITC), apenas cerca de 20% das empresas exportadoras globais são de propriedade de mulheres. No Brasil, essa proporção é ainda menor, com apenas 14% das empresas exportadoras sendo predominantemente de propriedade feminina, de acordo com o estudo “Mulheres no Comércio Exterior, Uma Análise para o Brasil”, recentemente lançado pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do MDIC.

O estudo revela ainda que em 2019, aproximadamente 2,6 milhões de mulheres ocuparam cargos em empresas que atuaram no comércio internacional. Esse número representa 32,5% dos empregos totais dessas empresas. Segundo o documento, as mulheres estão mais presentes nas empresas que exportam produtos de maior valor agregado, destinados a países de maior renda.

Para a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), há uma lacuna adicional que não pode ser explicada apenas pelas características das empresas, mas que pode estar relacionada a diversos obstáculos enfrentados pelas mulheres ao se envolverem no comércio internacional, incluindo o acesso limitado a financiamento, restrições de tempo devido a responsabilidades familiares e falta de acesso a uma rede de contatos profissionais.

Quando as mulheres têm a oportunidade de participar plenamente da economia, os benefícios são significativos, contribuindo para o crescimento econômico sustentável. A participação econômica das mulheres impulsiona o desenvolvimento, reduz a pobreza, combate a desigualdade e promove o bem-estar de pessoas.

Para enriquecer a discussão e garantir a implementação efetiva de medidas nesse meio, o B20 convocou membros de sua força-tarefa de Comércio e Investimento, bem como do Conselho de Ação para Mulheres, Diversidade e Inclusão. Estes membros colaborarão na identificação das barreiras que limitam a representatividade das mulheres no comércio internacional. As informações coletadas serão fundamentais para o trabalho do GT sobre Comércio e Investimento do G20.

O Women in Trade é uma iniciativa do G20 e B20 Brasil, realizada com o apoio do W20 Brasil (Women 20), BCG (Boston Consulting Group), OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) e ITC (International Trade Centre), fruto de uma colaboração entre os principais atores do setor empresarial e governamental.

Programação:

INICIATIVA DE MULHERES NO COMÉRCIO INTERNACIONAL

Data: 23/04/2024

Horário: 13h às 18h

Local: Sede da CNI (Brasília-DF)

ABERTURA

Constanza Negri – Sherpa do B20 Brasil

Tatiana Prazeres – Secretária de Comércio Exterior – MDIC

Embaixador Fernando Pimentel – MRE

Maria Helena Guarezi – Ministério das Mulheres

Rachel Maia – Deputy Chair do Conselho de Diversidade e Inclusão do B20 Brasil

Janaína Gama – W20 Brasil

PLANO DE PROJETO E HIPÓTESES INICIAIS

Juliana Abreu – Diretora e Sócia na Boston Consulting Group (BCG)

SESSÃO: RUMO À POLÍTICA COMERCIAL NEUTRA DE GÊNERO

Marion Jansen – Diretora de Comércio e Agricultura da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE)

MESA REDONDA 1

CIRCUNSTÂNCIAS GLOBAIS, REGIONAIS E LOCAIS: POR QUE AS EMPRESAS LIDERADAS POR MULHERES TÊM MENOS ACESSO AO COMÉRCIO INTERNACIONAL?
A mesa redonda explorará perspectivas sobre a razão pela qual as empresas lideradas por mulheres têm menos probabilidades de ascender aos mercados estrangeiros e se beneficiar do comércio internacional.

Palestrantes:

Judith Fessehaie – Líder da SheTrades Initiative no International Trade Centre (ITC)

Jane Korinek – Economista Sênior na Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE )

Renata Amaral – Fundadora da Rede Women Inside Trade WIT)

Ron Osman – Líder da Divisão de Indústria, Inovação e Minerais na União Africana – participação virtual

Anoush der Boghossian – Líder da unidade de Comércio e Gênero na Organização Mundial do Comércio OMC ) – participação virtual

Moderadora: Gabriela Leoni – Gerente de Projetos nas Forças-tarefas do B20 para Comércio e Investimento e Mulheres, Diversidade e Inclusão nos Negócios.

MESA REDONDA 2

PERSPECTIVAS DO SETOR PRIVADO: COMO AS EMPRESAS PERCEBEM AS LACUNAS PARA AS MULHERES EMPREENDEDORAS NO COMÉRCIO INTERNACIONAL?

Reconhecendo que a solução para eliminar barreiras para empresas lideradas por mulheres no comércio reside na intersecção entre o governo e as empresas, a mesa redonda explorará as perspectivas do setor privado sobre os desafios existentes e experiências existentes com a concepção e implementação de iniciativas inclusivas relacionadas com o comércio.

Palestrantes:

Rebecca Enonchong – Fundadora e CEO da Appstech e Membro do Conselho da Câmara de Comércio Internacional ( ICC) – participação virtual

Nadir Moreno – UPS

Linda Kromjong – Presidente da Amfori

Germana Cruz – CEO e líder de Instituições Financeiras na Standard Chartered Bank

Mônica Monteiro – Presidente do Fórum Nacional da Mulher Empresária (FNME)

Paola Buendía – Vice-presidente Executiva na Associação Nacional de Empresas da Colômbia (Andi) – participação virtual

Moderadora: Gabriela Leoni – Gerente de Projetos nas Forças-tarefas do B20 para Comércio e Investimento e Mulheres, Diversidade e Inclusão nos Negócios

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *