Autoridades dos EUA, Japão e Coreia do Sul terão primeira reunião desde que Biden assumiu para falar sobre a Coreia do Norte

Kim Jong-un visita local de construção na margem do rio Pothong — Foto: KCNA

Kim Jong-un visita local de construção na margem do rio Pothong — Foto: KCNA

Os responsáveis pela segurança dos Estados UnidosCoreia do Sul e Japão farão uma reunião nesta sexta-feira (2) para discutir a nova política de governo norte-americana para a Coreia do Norte. Também será discutida a falta de chips semicondutores.

O encontro será entre Jake Sullivan, o conselheiro nacional de segurança dos EUA, Shigeru Kitamura, do Japão, e Sun Hoon, da Coreia do Sul, e acontecerá em uma base naval no estado de Maryland.

Essa é a primeira reunião entre esses três aliados desde que Joe Biden assumiu o governo. Na semana passada, a Coreia do Norte voltou a disparar mísseis.

Biden afirmou que os EUA seguem abertos à possibilidade de ter relações diplomáticas com a Coreia do Norte, apesar dos testes com mísseis. No entanto, o presidente avisou que haverá respostas se os norte-coreanos intensificarem suas ações.

Além dos mísseis norte-coreanos, será discutida a pandemia de coronavírus na Coreia do Norte e a relação do país com a China.

O principal objetivo é que os três aliados todos saibam o que acontece na península coreana.

O governo dos EUA não revelou muito sobre sua política para a Coreia do Norte e nem se pretende oferecer concessões para que o governo norte-coreano aceite discutir uma desistência de manter armas nucleares.

No entanto, o porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, Ned Price, afirmou na quinta-feira que a desnuclearização será o foco dos americanos, e que qualquer ação será tomada em conjunto com os principais aliados, Japão e Coreia do Norte.

Donald Trump se reuniu três vezes com o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un. Com as reuniões, o programa nuclear foi suspenso temporariamente, assim como lançamentos de mísseis.

Biden tentou um diálogo com os norte-coreanos, mas até o momento não foi bem-sucedido.

O governo da Coreia do Norte tenta acabar com as sanções internacionais que foram impostas em resposta ao seu programa armamentista. Na semana passada, eles afirmaram que o governo de Biden deu um primeiro passo errado e defendeu seus testes de mísseis, que eles dizem ser de defesa.

Uma autoridade do governo dos EUA que não quer se identificar afirmou que o país está concluindo sua estratégia para a Coreia do Norte, após as conversas com Japão e Coreia do Sul, eles vão implementar sua política para o país.

Joseph Yun, enviado especial dos EUA para a Coreia do Norte dos presidentes Barack Obama e Donald Trump, disse que a meta é óbvia: a desnuclearização dos norte-coreanos. “O desafio é como dar o primeiro passo de uma forma que a Coreia do Norte seja convencida a não reagir de uma forma provocativa”, disse ele.

Trump e Kim chegaram a um acordo em Cingapura em 2018, mas, até agora, não se sabe se o governo Biden vai levar os termos daquele entendimento em consideração.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: