Após um mês de quarentena, famílias afetadas pela pandemia em Nova Friburgo ainda aguardam cestas básicas da Prefeitura

Centenas de famílias de Nova Friburgo, na Região Serrana do Rio, financeiramente afetadas pela pandemia do novo coronavírus ainda aguardam a distribuição de cestas básicas por parte do governo municipal. Com a declaração de emergência na Saúde pública municipal, publicada pela Prefeitura em Diário Oficial no dia 6 e abril, ficaria dispensada a licitação para aquisição de bens, serviços e insumos destinados ao enfrentamento do novo coronavírus, incluindo a compra emergencial de cestas básicas.

Em nota, a Prefeitura informou que o processo para a compra das cestas está em fase de cotação e será encerrado até esta quinta-feira, 30 de abril. Ainda não há uma data para o início da distribuição, mas o governo municipal informou que a “as cestas serão doadas durante três meses”.

Ainda segundo a Prefeitura, os kits serão direcionados para as famílias que possuem o Cadastro Único “e não apenas famílias com alunos matriculados na Rede Municipal de Ensino”. A estimativa, de acordo com o governo municipal, é de que a distribuição atenda até 15 mil famílias.

Até hoje, a prefeitura distribuiu 30 cestas básicas em parceria com o sindicado de produtores rurais de Vargem Alta, ação realizada no dia 20 de abril (segunda-feira).

Cruz Vermelha de Nova Friburgo, RJ, já distribuiu 200 cestas básicas para famílias afetadas financeiramente pela pandemia — Foto: Cruz Vermelha de Nova Friburgo

Atualmente, uma das organizações que mais tem se engajado com a distribuição de cestas básicas em Nova Friburgo é a Cruz Vermelha. Segundo dados divulgados pelo órgão, foram arrecadadas cerca de seis toneladas de alimentos e mais de 200 cestas já foram distribuídas. A meta, de acordo com o presidente da Cruz Vermelha, Luiz Claudio Rosa, é chegar a 700 doações.

Luiz Claudio conta que para que o projeto seja eficiente e atenda o público-alvo, antes da distribuição são realizadas visitas sociais.

“A gente não quer essa loucura de entregar de qualquer forma. A Cruz Vermelha primeiro vai até a residência da pessoa pra ver se ela precisa realmente da cesta básica. Aí sim, só depois da pesquisa é que realizamos as entregas. Nossa preocupação maior é que a cesta chegue até a pessoa que realmente precisa”, explica o presidente.

Voluntários da Cruz Vermelha contam que tem muita gente passando fome no município e, inclusive, uma família está se alimentando apenas de chuchu desde o início da quarentena.

Quem quiser doar alimentos para compor os kits da Cruz Vermelha, basta entregá-los na tenda em frente à sede da unidade, na Praça Getúlio Vargas, número 92, no centro de Nova Friburgo.

Mutirão Humanitário

O governo do Estado do Rio de Janeiro também investiu em cestas básicas em uma ação chamada “Mutirão Humanitário”. Foi contratada uma empresa, também sem licitação, por 21 milhões e 600 mil reais para a aquisição de cestas básicas que serão distribuídas por todo o estado.

De acordo com o Governo do Estado, o investimento para a empresa que fará a distribuição das cestas foi de 545 mil reais. Segundo a Secretaria Estadual de Desenvolvimento Social, a primeira fase de distribuição das cestas básicas do novo programa será voltada para a capital e 15 municípios da Região Metropolitana.

Ainda de acordo com a secretaria, as famílias em situação de extrema pobreza (com renda de até R$ 89 por pessoa), pobreza (até R$ 178 por pessoa) e de baixa renda (até meio salário mínimo) terão prioridade no momento de distribuição. Também segundo a Secretaria Estadual de Desenvolvimento Social, os municípios selecionados para o recebimento das cestas nesta primeira fase do programa foram escolhidos a partir do seu Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) e por serem os mais afetados pela pandemia.

Para receber a cesta básica, além de ser residente em alguma destas cidades, o beneficiado deverá estar inscrito no Cadastro Único (CadÚnico) até o dia 20 março. O CadÚnico é a base de dados para a participação no Bolsa Familia, entre outros programas sociais.

O G1 ainda aguarda informações da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Social sobre as cidades do interior que receberão as cestas, qual a quantidade e a partir de quando.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: