Após temporal, trens do Rio têm intervalos irregulares; volta a chover nesta segunda

O Rio Acari transbordou e moradores da área ficaram com água na altura das coxas — Foto: Reprodução/TV Globo

Depois do temporal que atingiu o Rio de Janeiro e a Região Metropolitana na noite de domingo (2), a capital fluminense tem bolsões d’água em vários pontos e os trens da Supervia operam com intervalos irregulares. A cidade retornou ao estágio de mobilização às 3h20.

De acordo com o Climatempo, há previsão de chuva a qualquer hora nesta segunda-feira (3). O dia deve ter tempo fechado, podendo ocorrer pancadas a qualquer momento, ocasionalmente fortes. A temperatura máxima não deve ultrapassar os 29ºC. A mínima é de 21ºC.

Três ramais dos trens da Supervia operam com intervalos irregulares por causa de problemas na sinalização causados pela chuva. São eles:

  • Deodoro;
  • Santa Cruz;
  • Japeri.

Entre os pontos que apresentavam bolsões d’água às 6h41 estavam:

  • Pista lateral da Avenida Brasil, na altura de Manguinhos;
  • Pista sentido Zona Oeste da Avenida Brasil, na altura da Ceasa, em Irajá;
  • Linha Vermelha, na saída da Linha Amarela.

O Centro de Operações Rio registrou a queda de oito árvores por causa do temporal, sendo que três delas já foram removidas. Dois postes desabaram e a Light foi chamada, de acordo com o COR.

Oito sirenes foram acionadas em comunidades das zonas Norte e Oeste. O Alto da Boa Vista chegou a ficar fechado das 20h às 2h da manhã.

Os locais onde mais choveu foram Pavuna (153,2 mm), na Zona Norte; São João de Meriti (146,4 MM), na Baixada Fluminense; Guadalupe (136,6 MM) e Padre Miguel (128,4 MM), na Zona Oeste.

Van presa no alagamento

Uma van que carregava pacientes de Nilópolis, na Baixada Fluminense, que precisam de atendimento, ficou presa em um alagamento na Rua Mercúrio, na Pavuna, na Zona Norte do Rio. Às 6h11, eles foram resgatados pelo Corpo de Bombeiros.

Os cerca de 20 pacientes e o motorista foram retirados após o caminhão da corporação puxar o veículo com a ajuda de uma corda. Um ônibus também ficou enguiçado na região.

Alguns pacientes lamentaram a perda de consultas e tratamentos marcados. “Eu vou para casa, hoje não dá mais para consultar não”, contou uma passageira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: