Após desencalhe de cargueiro gigante, 140 navios devem passar hoje pelo Canal de Suez

Após o desencalhe do cargueiro gigante de 400 metros e 200 mil toneladas que fechou o Canal de Suez, as autoridades esperam que 140 navios passem por lá nesta terça-feira (dia 30). Mas as interrupções no transporte global e nos portos podem levar meses para serem resolvidas, alertaram especialistas como Jan Hoffmann, analista em logística da Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD), em um briefing.

Segundo as autoridades responsáveis pelo canal, 113 navios já passaram por ele em ambas as direções desde que equipes de resgate conseguiram desencalhar o cargueiro Ever Given.

O presidente da Autoridade do Canal de Suez, Osama Rabie, disse que 95 navios passarão até as 19h (horário local) na terça-feira e mais 45 até a meia-noite, reafirmando que espera que o acúmulo de embarcações causado pelo bloqueio seja sanado em três a quatro dias.

O transporte de comboios através do canal foi reiniciado na noite de segunda-feira após a libertação do navio, que bloqueou o canal desde 23 de março.

O bloqueio desorganizou as cadeias de abastecimento globais, ameaçando atrasos onerosos para as empresas, que já sofriam com as restrições impostas pela pandemia de Covid-19, e quase dobrou as taxas para os navios petroleiros.

O encalhe do Ever Given em uma seção sul do canal forçou a paralisação de todo o tráfego, levando ao bloqueio de 429 navios.

O presidente egípcio, Abdel Fattah al-Sisi, disse que o encalhe do Ever Given chamou a atenção para a importância da hidrovia para o comércio global.

— Não esperávamos algo assim. (O incidente com o navio) mostrou a importância do canal —disse Sisi ao saudar a equipe de resgate em uma visita à Autoridade do Canal de Suez em Ismailia.

Mais tarde ele acrescentou, declarando a repórteres numa plataforma no canal, enquanto navios porta-contêineres passavam:

— Queremos reafirmar em uma mensagem clara ao mundo de que tudo voltou a ser como era.

Sisi prometeu que o governo vai adquirir “todo o material necessário para o canal” para evitar novos incidentes.

O grupo de transporte marítimo Maersk disse que as interrupções indiretas no transporte internacional podem levar semanas ou meses para se desfazer.

Rabie disse que a Autoridade do canal vai tentar dar descontos às empresas de navegação afetadas pela paralisação.

— Precisamos estudá-los bem, porque o número de navios é grande. E houve navios que esperaram por um dia, outros que esperaram por dois dias e outros ainda que esperaram três dias ou quatro dias. Nem todos receberão as mesmas porcentagens.

O proprietário japonês do Ever Given disse que até agora não recebeu nenhuma reclamação ou ação judicial sobre o bloqueio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: