Anvisa recebe 2º pedido de importação da vacina Covaxin

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) recebeu na 2ª feira (24.mai.2021) um novo pedido para a importação da vacina da Covaxin. A solicitação foi feita pelo Ministério da Saúde e indica um volume de 20 milhões de doses do imunizante fabricado na Índia.

Esse é o 2º pedido para a importação da vacina. Em 22 de março, o ministério pediu a importação, mas na época faltavam documentos necessários para a análise. Assim, o pedido foi negado.

No mesmo mês, em 30 de março, a agência brasileira negou o certificado de boas práticas ao laboratório Bharat Biotech, que fabrica a vacina Covaxin contra a covid-19. A Anvisa informou que as inspeções realizadas no laboratório mostraram que nem todas as normas brasileiras de fabricação farmacêutica eram respeitadas pelo fabricante indiano.

A Anvisa afirma agora que o diálogo continuou para que as adequações fossem realizadas. O laboratório tinha se comprometido a realizar as mudanças necessárias. Um novo pedido de certificado de boas práticas também foi protocolado. A agência brasileira informou que esse pedido também está sendo analisado.

Em 13 de maio, a Anvisa autorizou os estudos clínicos da vacina Covaxin no Brasil. A expectativa é que 4.500 voluntários recebam 2 doses do imunizante indiano, com intervalo de 28 dias entre as aplicações. Mas ainda não há um pedido para uso emergencial no país.

O Ministério da Saúde assinou um contrato para a compra de 20 milhões de doses da Covaxin ainda em fevereiro. O investimento de R$ 1,6 bilhão previa que o 1º lote da vacina chegasse ao Brasil em março.

Mas a falta de adequação às normas da Anvisa para a segurança e eficácia atrasou a importação pela Precisa Medicamentos, que comercializa a vacina indiana no Brasil. A Covaxin usa vírus inteiro inativo (como a CoronaVac) e o estudo preliminar indica eficácia de 81% da vacina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: