fbpx

Anvisa autoriza uso de imunizante da Pfizer contra a covid-19 em crianças entre 5 e 11 anos

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou o uso da vacina da Pfizer contra a covid-19 para crianças entre 5 e 11 anos. A decisão foi divulgada nesta quinta-feira, 16, e já era prevista por profissionais da área da saúde. Conforme informou a agência, 2.250 crianças participaram dos testes e não houve nenhum caso de eventos adversos sérios.

No entanto, o imunizante que recebeu o aval da Anvisa é diferente do que é aplicado em adultos atualmente no país. A dose para essa faixa etária deve ser menor, composta por 1/3 da fórmula já aprovada e deve conter substâncias diferentes, além de durar mais tempo em armazenamento. Essa versão da vacina ainda não está disponível no Brasil e não tem previsão de chegada. Logo, a imunização dos pequenos só poderá começar quando o país receber as novas doses.

Outro detalhe relevante é que a criança que completar 12 anos entre a aplicação da primeira e da segunda dose deve receber a dose pediátrica novamente. Ainda não há também pesquisas sobre a administração de outras vacinas em combinação com a da Pfizer, logo, esse tipo de mistura ainda não está autorizada.

A intenção é que a vacina seja armazenada em um frasco diferente do que já está em circulação nas unidades de saúde, a fim de evitar confusão no momento da aplicação. Apesar do percentual de eficácia do imunizante não ter sido divulgado, a agência relatou que houve mais casos da doença em crianças que receberam o placebo ao invés da vacina.

Porém, em outubro deste ano, a farmacêutica já tinha apontado uma eficácia de 90,7% entre essa faixa etária. Na ocasião, a pesquisa acompanhou 2.268 crianças que receberam duas doses do imunizante, já com 1/3 da quantidade aplicada em adolescentes e adultos, ou placebo. Os pesquisadores relataram que apenas três crianças contraíram a covid-19 entre as vacinadas, em comparação com 16 contaminados entre os que receberam placebo.

Histórico e tempo de análise

A avaliação da Anvisa levou 21 dias, descontados os 14 dias que a Pfizer utilizou para responder exigências técnicas da agência. Ao todo, foram 35 dias de análise desde que o pedido foi protocolado no dia 12 de novembro.

O imunizante da farmacêutica já está registrado no país desde o dia 23 de fevereiro de 2021 e a indicação para a vacinação de adolescentes entre 12 e 16 anos ocorreu no dia 11 de junho deste ano. 

Outros pedidos de vacina Covid para crianças

Além do pedido da Pfizer, a Anvisa também recebeu nesta quarta-feira, 15, o segundo pedido do Instituto Butantan para indicação da vacina Coronavac para crianças e adolescentes de 3 a 17 anos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: