Análise: desempenho do Botafogo não é ideal, mas conquistar 8 em 12 pontos é suficiente para subir

O gosto é amargo e não é pra menos. O Botafogo não mostrou um bom futebol na noite da última quinta-feira, e empatar em 2 a 2 com o Londrina, fora de casa, com gol sofrido aos 42 minutos do segundo tempo incomoda. Mais por deixar de ganhar dois pontos do que na análise fria dos números. Porém, para um início de campeonato, conquistar oito pontos em 12 possíveis é suficiente para colocar o Botafogo onde quer estar ao fim da Série B: entre os quatro primeiros colocados.

Dentro de campo, o time de Marcelo Chamusca, que mostrou evolução nas primeiras rodadas da competição em comparação com o Estadual, voltou a exibir a dificuldade na criação – especialmente na etapa inicial. Os contra-ataques, que o técnico qualificou antes do jogo como a principal aposta para a partida, não encaixaram mesmo enquanto Ronald esteve em campo. O Botafogo não conseguia acelerar as jogadas e ser incisivo nos passes. Mas teve o mérito de encontrar o gol em bela cobrança de falta de Chay, que colocou a bola na cabeça de Navarro, e também de não sofrer com o Londrina.

Rafael Navarro fez muito botafoguense gritar gol com o peixinho que acertou a parte de fora da rede — Foto: Marcos Zanutto/AGIF

No segundo tempo, foi um pouco diferente. O Botafogo conseguiu ameaçar mais apesar da saída de Ronald por questão física. A equipe continuou apostando nas jogadas rápidas de transição mais pela direita do que pela esquerda. O time criou oportunidades com Navarro, Warley e até Rafael Moura no finzinho, mas eram muito mais na base da velocidade do que pela criatividade e troca de passes. O segundo gol saiu assim. Pedro Castro interceptou um passe, e rapidamente encontrou Marco Antônio, que só rolou para Oyama bater de primeira.

O primeiro volante, aliás, recebeu a melhor nota na noite de quinta-feira. Segundo jogador do Botafogo com mais troca de passes, o camisa 5 se destacou nos três jogos que fez até agora. Contra o Londrina, fazia o gol da vitória até os 42 do segundo tempo, mas a falha coletiva de PV (que não afastou totalmente), Douglas Borges (que espalmou para o meio) e Kanu (que deixou Junior Pirambu passar à frente) sacramentou o empate. A partida do volante foi elogiada por Chamusca.https://a424f8b5bebb3c71272cbaaa95fc08ab.safeframe.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

– Estou feliz com a chegada do Oyama, que se inseriu muito rapidamente no modelo de jogo, na mecânica da equipe, um jogador muito inteligente, tem bom passe, tem passe longo, acha passe por dentro e tem a característica de infiltrar. Um jogador que tem agregado muito, é muito bom profissional, interage bem com os jogadores, estamos muito satisfeitos com essa aquisição.

A tática da defesa do Londrina, de parar o jogo com faltas (foram 23, contra 18 do Botafogo), também evitou que a equipe conseguisse sair em velocidade. Além disso, por tentar um jogo de mais velocidade e ataque rápido aos espaços deixados pelo adversário, o Bota acaba por ficar menos com a bola, como foi nas duas vitórias anteriores. O problema não é nem a ausência da posse, mas a baixa precisão. Foram 73% de acerto, o que torna mais difícil a ligação entre os jogadores.

Dado o tamanho do Botafogo e do lugar que ele tem que estar, é natural que a torcida exija 100% de aproveitamento na segunda divisão com jogadores que atuem bem o tempo inteiro. Porém, a realidade é mais dura do que isso. Goste ou não do técnico, ele tem três derrotas em 21 jogos na temporada e pontuou em todos os jogos da Série B até agora.

Botafogo sofreu gol em dois lances que tiveram relação com bola aérea — Foto: Marcos Zanutto/AGIF

A meta do clube é estar entre os quatro primeiros lugares no fim da competição e os números mostram que equipes com 67% de aproveitamento (que é quanto o Bota tem hoje), sempre sobem. Claro que o desempenho sempre deve ser levado em consideração. Mas, para o Botafogo da temporada 2021, o resultado é o que precisa importar mais, visto que a subida para a Série A é essencial para a manutenção do clube.

Se até agora o Botafogo não teve um grande teste pela frente, a próxima rodada promete ser diferente. O time volta a campo no próximo domingo, às 16h (de Brasília), no Estádio dos Aflitos, onde encara o Náutico, pela quinta rodada da Série B. Com oito pontos em quatro jogos, o Bota se mantém na terceira colocação. Já o Timbu é o líder da competição, com 100% de aproveitamento, sete gols marcados e apenas um sofrido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: