Aliados de militares de Mianmar dão ‘golpe’ em embaixada do Reino Unido e trancam embaixador do lado de fora

O embaixador de Mianmar no Reino Unido foi expulso da própria embaixada e substituído pelo seu vice na quarta-feira (8).

Diplomatas vinculados à junta militar que deu um golpe de Estado em Mianmar em 1º de fevereiro impediram que o embaixador Kyaw Zwar Minn, partidário da líder civil deposta Aung San Suu Kyi, entrasse na representação do país em Londres.

Depois de esperar em vão na porta da embaixada, o diplomata passou a noite em seu carro, que exibe em uma das janelas uma grande foto da chefe de Governo civil deposta.

Civis feridos fogem de Mianmar e cruzam fronteira com a Tailândia

Em um comunicado, foi informado que o embaixador Zwar Minn foi convocado a voltar a Mianmar e que seu mandato terminou na quarta-feira.

O Ministério de Relações Exteriores do Reino Unido afirmou que vai aceitar a decisão do governo de Mianmar —a nota destaca que a posição diplomática do Reino Unido sempre consistiu em reconhecer os Estados, e não os governos.

O chefe da diplomacia britânica, Dominic Raab, afirmou em uma rede social que condena “os atos de intimidação do regime militar de Mianmar em Londres”.

Depois de elogiar o embaixador birmanês por sua “coragem”, ele reiterou o apelo para o fim da “espantosa violência” em Mianmar e o retorno “rápido da democracia” no país.

O embaixador birmanês acusou na quarta-feira um militar próximo à junta de “ocupar” a embaixada, denunciando “uma espécie de golpe de Estado”.

Ao ser questionado sobre quem estava dentro do edifício e impedia sua entrada, Kyaw Zwar Minn respondeu: “O adido militar, eles ocuparam minha embaixada”.

O Reino Unido, ex-potência colonial, anunciou sanções contra vários funcionários da junta militar, incluindo seu comandante Min Aung Hlaing, por seu papel no golpe de Estado que derrubou o governo civil liderado por Aung San Suu Kyi.

Celebridades presas

Em Mianmar, os militares começaram a prender celebridades que participam de manifestações contra o golpe.

Um dos presos foi o modelo e ator Paing Takhon, de 24 anos. Oito caminhões com policiais apareceram na casa da mãe dele, de acordo com a mídia do país.

Os militares têm divulgado nomes e fotos de pessoas conhecidas em Mianmar em listas de pessoas procuradas que são veiculadas na TV e em jornais oficiais.

Uma blogueira de beleza foi presa em um hotel.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: