Agora só falta você… Flamengo é o único rival local no qual Cano não fez gol pelo Vasco

Na próxima quinta-feira, o Vasco tem mais um confronto diante de um adversário importante. Terá pela frente, no Maracanã, o arquirrival Flamengo. E metas pessoais e coletivas podem ajudar o time de Vanderlei Luxemburgo a vencer.

Agora só falta você, Flamengo…

Cano, por exemplo, já fez gols em praticamente todos os times, inclusive nos rivais locais Fluminense e Botafogo, mas ainda não marcou contra os rubro-negros.

O primeiro gol de Cano em confrontos caseiros deu-se em seu segundo clássico com a camisa vascaína. Depois de passar em branco na derrota por 2 a 1 para o Flu em 29 de agosto de 2020, balançou a rede do Botafogo no dia 13 do mês seguinte, quando o Vasco venceu por 3 a 2, pela 10ª rodada do Brasileiro.

Gol do Vasco! Benítez levanta na área, Cano toca de cabela, Cavalieri dá rebote e argentino marca, aos 25' do 2° tempo

Anulação polêmica contra o próprio Flamengo

O segundo gol de Cano em clássicos seria no dia 10 de outubro, em seu primeiro Clássico dos Milhões, pela 15ª rodada do Brasileiro. O Flamengo vencia até os 41 minutos do segundo tempo, quando Guilherme Parede foi lançado por Marcos Júnior e tocou para o argentino colocar no fundo da rede. Mas o VAR foi consultado, e Parede, hoje já fora do Vasco, estava em posição ilegal.

Apesar do auxílio do árbitro de vídeo, vascaínos ficaram indignados com a marcação na ocasião e, consequentemente, com a derrota por 2 a 1.

Desta forma, Cano volta a marcar em clássicos somente em 13 de dezembro, já com Ricardo Sá Pinto. Se contra o Flamengo o VAR o parou no fim do jogo, diante do Fluminense a história foi diferente.

Aos 46 minutos da etapa final, o Flu vencia, e Léo Gil chutou fraco para a área. Cano, num misto de inteligência, oportunismo e sorte, dominou com a esquerda tirando do goleiro Marcos Felipe e empurrou com a direita.

Gol do Vasco! Léo Gil chuta e acha Cano no caminho para empatar, aos 46' do 2º Tempo

Marcos Felipe pediu impedimento, mas desta vez a posição era legal. O jogo terminou em empate por 1 a 1.

Portanto, quinta-feira, às 21h, Cano tem a segunda – e última – chance de balançar a rede do maior rival na atual temporada. Até agora, disputou seis clássicos (três contra o Botafogo, dois contra o Fluminense e um diante do Flamengo) e marcou duas vezes.

Cano comemora o gol do Vasco contra o Fluminense, em 13 de dezembro do ano passado — Foto: André Durão

Detentor da maior série invicta do clássico, Vasco amarga pior jejum contra o rival

O Vasco, por sua vez, dono da maior série invicta do clássico, com 15 vitórias e cinco empates entre 1945 e 1951, não vence o Flamengo desde abril de 2016, quando fez 2 a 0, gols de Andrezinho e Riascos.

O Flamengo atualmente ostenta seu recorde de invencibilidade em jogos contra o maior rival. Nos últimos 16, venceu sete e empatou nove.

Vale lembrar que, além de mais expressiva, a sequência de 20 jogos sem derrotas do Vasco entre os anos 40 e 50 traz outro recorde. Dentro desta, emplacou oito vitórias seguidas entre julho de 1947 e novembro de 1949.

Das 15 vitórias vascaínas entre 13 de maio de 1945 e 25 de março de 1951, o clube de São Januário aplicou quatro goleadas: 5 a 1(1945), 5 a 2 (47 e 49) e 4 a 1 (50).

A freguesia flamenguista deu-se no período em que o Expresso da Vitória do Vasco era tido como um dos principais times do mundo.

Ademir de Menezes, o Queixada, foi o carrasco no período

Ademir de Menezes, o Queixada, maior expoente do Expresso, marcou nove gols no período do jejum rubro-negro. Deixou o seu no 5 a 1 que abriu a série e também no 2 a 2 que precedeu a primeira vitória do rival depois de seis anos na seca.

– Era maravilhoso ver, de dentro do campo, a festa que as torcidas faziam nas arquibancadas. Muitas vezes uma partida era decidida no grito da torcida. Ninguém consegue ficar insensível aos gritos da massa. Várias vezes eu escutei meu nome sendo gritado em coro pela torcida vascaína, e o que a gente sente como ídolo de uma torcida é algo indescritível – disse Ademir em reportagem publicada pelo Jornal dos Sports em 12 de junho de 1976.

Tal desempenho avassalador lhe rendeu a credencial de “Carrasco do Flamengo”. Costumava fazer muitos gols contra o então goleiro rubro-negro García, que era paraguaio.

Ao longo da carreira, Ademir fez 23 gols contra o Flamengo (cinco pelo Fluminense, que defendeu entre 1946 e 1947). Se Cano precisa de inspiração, Queixada está aí para motivá-lo.

Ademir de Menezes, o Queixada, é um dos maiores ídolos do Vasco — Foto: Reprodução

Sentimento do elenco atual

Alheio ao passado, mas incomodado com o atual momento do Vasco no clássico, o zagueiro Ricardo Graça resume o sentimento do elenco em relação ao atual jejum contra o arquirrival:

– Os números com certeza incomodam bastante, mas acho que também não temos de levar o peso dos jogos passados para agora. Temos que esquecer o passado e focar nesse próximo jogo, que é o mais importante para gente. Tentar acabar isso na quinta-feira. Com certeza o Vanderlei Luxemburgo sabe o que é melhor para tentarmos vencer – disse o defensor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: