fbpx

Aeroporto do Galeão já reaproveita 74% dos resíduos orgânicos e recicláveis que produz

No Aeroporto Internacional Tom Jobim, restos de alimentos e de poda e de aparas de grama são transformados em adubo, enquanto recicláveis coletados vão para cooperativas de resíduos. Esses são alguns dos resultados do Programa de Gerenciamento de Resíduos Sólidos, criado em 2014 pela concessionária RIOgaleão, que, depois de decolar, já provoca uma inversão de cenário. Um ano após a ideia ser implementada, 72,9% do lixo do aeroporto eram levados para aterros sanitários. Hoje, esse percentual caiu para 26%, com o aproveitamento de 74% das sobras orgânicas e recicláveis.

— Atualmente só mandamos para aterro sanitário o que é descartado em banheiros e resíduos que alguns colocam em local errado. Mas temos estudado tecnologias para a utilização também desses resíduos. Lá na frente, queremos dar destinação a praticamente tudo o que se descarta no aeroporto. Quem sabe seja possível gerar energia, biogás… Estamos buscando parceiros para implantar esse projeto. Com isso, mitigamos os impactos sobre o meio ambiente — diz a gerente de Sustentabilidade do RIOgaleão, Milena Martorelli.

O Programa de Gerenciamento de Resíduos Sólidos foi o primeiro — de um total de 20 — a ser criado pela Gerência de Sustentabilidade do RIOgaleão. A meta, lembra Milena, era reduzir as notificações e autuações que a operação aeroportuária recebia antes de a atual concessionária assumir:

— Não queríamos que essa herança se perpetuasse. A gente precisava, digamos, quebrar esse ciclo.

Em relação à coleta seletiva, o foco recaiu sobre os cessionários do aeroporto — lojas, bares e restaurantes — e as áreas administrativas, que geram mais lixo. Para facilitar a seleção, em vez de vários coletores com cores diferentes, a opção foi por apenas dois modelos: para recicláveis e não recicláveis. Cursos de capacitação e de treinamento contínuos também foram criados. E, para envolver os passageiros, coletores foram espalhados pelos terminais.

— Identificamos que, pelo comportamento de passageiros e cessionários, as pessoas não conseguem pegar os restos de uma bandeja e colocar em nove coletores diferentes. Separar o reciclável do não reciclável é um avanço. O reciclável, separado na fonte, vai para uma cooperativa de resíduos, que faz a segunda segregação, separando por tipo de material — explica Milena.

Numa primeira fase, o material orgânico era encaminhado para um aterro sanitário. Mas, numa etapa seguinte, passou a ser aproveitado. Levado por uma empresa, passa por um processo de compostagem. E parte dele retorna, em forma de adubo, para os jardins do Tom Jobim, minimizando a pressão sobre os aterros sanitários da cidade.

Desta forma, desde que foi implantado o programa, quase 7,3 mil toneladas de material reciclável foram destinadas às cooperativas. Outras 6,9 mil toneladas de resíduos seguiram para a compostagem.

O Conexão Escola é outra iniciativa da Gerência de Sustentabilidade da RIOgaleão. Voltado para comunidades no entorno do aeroporto, hoje atende 120 crianças e 30 mães. As turmas têm, por exemplo, aulas de dança e música, além de atividades de educação ambiental. Há ainda uma horta orgânica, produzida pelo alunos, em que é utilizado adubo oriundo do projeto de compostagem.

— Durante a pandemia, adequamos atividades para aulas on-line. Não houve paralisação — afirma a gerente.

Controle de riscos

Mais um programa é o de Controle, Risco e Emergência Ambiental. O objetivo é tanto trabalhar de forma preventiva para mitigar riscos, como na preparação dos funcionários para agir em caso de uma eventual emergência. Já a correlação entre Controle, Risco e Emergência Sanitária é tratada em outro projeto.

— Quando a pandemia bateu à porta do RIOgaleão, estávamos preparados para fazer esse enfrentamento. Não precisamos implantar nada de última hora. Todos os processos de tratamento de esgoto, de limpeza, de higienização, de gerenciamento de resíduos infectantes estavam implantados. O que precisamos foi reforçar — ressalta Milena.

Em 2019, o RIOgaleão recebeu o Selo ANAC Aeródromo Sustentável Avançado. A concessionária ganhou ainda menções honrosas pelos programas de Treinamentos Socioambientais, Gestão de Resíduos Sólidos e Conexão Escola.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: