Acusado de matar Marielle Franco tem pedido recusado pela Justiça e pode ir a júri popular

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ) negou, nesta quinta-feira (20), a admissão do recurso especial da defesa do policial reformado Ronnie Lessa, acusado de ser um dos executores da vereadora Marielle Franco (PSOL) e do motorista Anderson Gomes, em 18 de março de 2018. A decisão foi do desembargador Marcus Henrique Basílio.

Com isso, o juiz Gustavo Kalil, do 4º Tribunal do Júri, pode seguir com o processo e agendar a data para o júri de Lessa e de Élcio Queiroz, outro acusado pelos crimes. As defesas de Ronnie tentavam o julgamento de seu cliente. Agora, os advogados podem entrar com agravo e o recurso seguir para o Superior Tribunal de Justiça (STJ).

De acordo com o desembargador, a defesa do ex-PM limitou-se a rediscutir as provas anexadas ao processo. Com a rejeição do recurso, a próxima fase é o de requerimento de diligências pelo Ministério Público, pela defesa e pela assistência de acusação. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: