ACM Neto chama Maia de ‘ingrato’ e diz que não fará indicações para governo Bolsonaro

O presidente Nacional do DEM, ACM Neto, chamou nessa terça-feira (9) o deputado Rodrigo Maia (RJ), seu colega de partido, de “ingrato” por suas críticas à postura da legenda na eleição da Câmara.

Além disso, o ex-prefeito de Salvador negou que tenha feito qualquer indicação para o governo do presidente Jair Bolsonaro, que apoiou a candidatura vitoriosa de Arthur Lira (PP-AL) à presidência da Câmara.

Baleia Rossi (MDB-SP), o nome apoiado pelo ex-presidente da Casa, não foi unanimidade entre os parlamentares do seu próprio partido, que, por determinação de ACM Neto, liberou o voto da bancada.

O presidente do DEM disse que “as críticas serão sempre no campo político, mantendo respeito”, mas chamou Rodrigo Maia de “bastante ingrato” e afirmou que suas declarações eram muito injustas.

Para o jornal Valor Econômico, Maia disse que ACM Neto entregou o DEM “em uma bandeja ao Palácio do Planalto”.

“Convoquei a executiva nacional para tirar aquela postura de neutralidade como forma de assegurar a integridade e a unidade do partido e para evitar um vexame para o Rodrigo Maia”, disse ACM Neto. “Eu desejei que o partido integrasse o bloco do Baleia Rossi. Institucionalmente, trabalhei para isso, e Rodrigo sabe. Fizemos várias reuniões nessa direção, mas, infelizmente, e eu não posso ser maior do que o conjunto da bancada”, acrescentou.

‘Nunca tratei com o presidente’
A bancada do DEM na Câmara, por sua vez, divulgou nota afirmando que Maia deveria fazer uma “autocrítica” sobre a eleição na Casa.

ACM Neto garantiu que o apoio de parte dos parlamentares do DEM não ocorreu como moeda de troca por cargos no Planalto. Após a eleição no Congresso, Rodrigo Maia foi convidado pelo governador de São Paulo, João Doria, a se filiar ao PSDB. O parlamentar já sinalizou que deve mesmo deixar o DEM, afirmando que a legenda se voltou para a extrema-direita.

“Eu nunca tratei com o presidente da República nem com o Palácio do Planalto sobre eleição na Câmara dos Deputados. Sempre deixei claro tanto para Bolsonaro, quanto para os seus ministros, que eu não participaria de indicação de ministros para o governo. Eu não quero indicar um porteiro, um servente para o governo, imagine participar da indicação de ministro”, disse.(com agência Sputnik Brasil)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: