Abel liga para Autuori e colhe informações sobre estratégias para bater o Flamengo

O caráter decisivo do embate de domingo entre Flamengo e Inter, no Maracanã, colocou dois velhos amigos em contato às vésperas da “final” do Brasileirão: Abel Braga e Paulo Autuori. O motivo da ligação é o fato de o treinador do Inter querer repetir o feito do comandante do Athletico, que bateu o time de Rogério Ceni por 2 a 1 em 24 de janeiro, pela 32ª rodada, na Arena da Baixada.

Depois da suada vitória contra o Vasco e da folga geral de segunda-feira, o foco voltou-se para o compromisso que pode decretar os colorados como campeões brasileiros após 41 anos. Para alinhar suas estratégias no seu “intensivo”, Abel Braga acionou reforço – além do estafe que já municia o treinador com dados sobre o adversário – e ligou para Autuori.

A intenção era descobrir como o Athletico venceu o Flamengo há quase um mês – tarefa que, se repetida, dará o título ao Inter com uma rodada de antecedência. Autuori, então, explicou uma mudança fundamental no duelo que estava empatado em 1 a 1, quando, aos 36 minutos do segundo tempo, promoveu a entrada de Zé Ivaldo, e armou o time com três zagueiros.

Abel Braga e Paulo Autuori em treino do Fluminense nos Estados Unidos — Foto: Lucas Merçon/Fluminense

A alteração liberou os dois laterais, Khellven e Abner, e destravou os paranaenses. O gol da vitória, inclusive, saiu com uma subida do Khellven, que também havia entrado na etapa complementar, ao ataque, e terminou com Kayzer, que completou para as redes do goleiro Hugo Souza.

A utilização de três zagueiros, no entanto, dificilmente poderá ser repetida pelo Colorado. O Inter não tem seus titulares para a ocasião, já que Moledo está lesionado, e Cuesta, suspenso. Por isso, uma mudança tão brusca no sistema defensivo, formado por garotos na falta da experiente dupla, é praticamente descartada.

Mas uma informação valiosa também foi compartilhada – e esta, sim, está mais alinhada às estratégias que alçaram o time de Abel à liderança: o Flamengo teve mais posse de bola, principalmente no segundo tempo, o que possibilitou que o Athletico apostasse em contra-ataques.

Os treinadores são amigos há tempos. Além dos inúmeros embates em bancos distintos ao longo das duas carreiras, os dois chegaram a trabalhar juntos no Fluminense em 2018, quando Autuori foi contratado como diretor esportivo de futebol. Abel era o técnico e podia dividir principalmente as tarefas extra-campo com o colega.

No domingo, enquanto Abel ficará à beira do campo em seu jogo mais decisivo das últimas temporadas, Autuori estará se preparando para enfrentar o Grêmio às 18h15min, na Arena, em Porto Alegre. Será mais um capítulo da longa amizade, em que um torcerá para que o outro saia vencedor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: