Workshop de Meteorologia e Defesa Civil propõe rede integrada no Estado para prevenir tragédias em períodos de chuvas em Belford Roxo

Toda vez que o verão se aproxima, a população do estado do Rio enfrenta o temor dos alagamentos, enxurradas, inundações e deslizamentos, ou seja, desastres diretamente ligados às chuvas. O melhor caminho para evitar estas ameaças, que muitas vezes resultam em tragédias, é a prevenção. Este é um dos assuntos que serão discutidos no Workshop de Meteorologia e Defesa Civil, realizado pela Defesa Civil de São João de Meriti, nesta terça-feira (07/08), das 8h às 17h, no Colégio Fluminense de Vilar dos Teles. 

O encontro vai contar com a presença de representantes de vários municípios e das seguintes instituições: Corpo de Bombeiros Militar/RJ, Inea (Instituto Estadual do Ambiente), DRM (Serviço Geológico do Estado), Cemaden (Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais), UFRJ, UFF, UERJ e CEFET.

Um dos objetivos do evento é proporcionar o diálogo entre os profissionais de meteorologia, pesquisadores e acadêmicos da área, órgãos de Proteção e Defesa Civil e instituições que trabalhem com gestão de risco de desastres naturais. Também será discutida a proposta de criação de uma rede integrada entre os municípios fluminenses para alertar a população sobre os riscos de desastres naturais.

Muitas instituições de proteção e Defesa Civil têm dificuldade de encontrar informações confiáveis de previsões meteorológicas, que auxiliem na tomada de decisão de seus níveis de avisos e alertas. “Dos 92 municípios do Estado do Rio, em menos de 10% das instituições de Defesa Civil há profissionais qualificados para disseminar as informações de tempo e clima para as suas regiões. Por isso a importância de chamar a atenção para o trabalho do meteorologista junto à Defesa Civil”, diz o coordenador da Defesa Civil de São João de Meriti, major Samir Fernandes.   

Referência na Baixada

São João de Meriti é o único município da Baixada Fluminense que possui duas meteorologistas em seu quadro funcional, que ingressaram através de concurso público. Estas profissionais são responsáveis pelo monitoramento das condições de tempo, pela previsão meteorológica da cidade e pelo comando dos níveis de avisos pertencentes ao Sistema de Alerta e Alarme. 

“Em uma cidade com 58 morros, este serviço torna-se essencial para população residente em áreas de risco de deslizamento ou de alagamento, pois permite que essas pessoas sejam alertadas previamente sobre condições de chuvas fortes e da necessidade de sair desses locais, caso necessário. Em janeiro deste ano, através do trabalho de prevenção, enfrentamos um período de fortes chuvas e inundações sem registro de mortes”, destacou o major Samir. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *