São Paulo fica mais cascudo com Daniel Alves e ganha força na briga pelo título brasileiro

Resultado de imagem para daniel alves sao paulo

O estreante Daniel Alves, autor do gol da vitória do São Paulo sobre o Ceará, no último domingo, no Morumbi, pela 15ª rodada do Brasileirão, disseque tem uma “estrela diferente”.

E ele tem razão. Do contrário não seria o maior campeão da história do futebol, com 40 títulos.

O técnico Cuca, na entrevista depois do triunfo sobre o time cearense, valorizou os três pontos que foram conquistados, principalmente porque o “jogo foi complicado”.

Ele também tem razão. O Ceará ameaçou muito e parou em Tiago Volpi, que, além de boas defesas, fez pênalti em cima de Felippe Cardoso, não marcado pela arbitragem.

Mas, mais do que tudo isso, a vitória sobre o Ceará, a quarta seguida (o Tricolor está há oito jogos invicto no Brasileirão, com quatro empates e quatro triunfos), reafirma o time na briga pelo título.

Quinto colocado com 27 pontos e um jogo a menos, o São Paulo pode colar ainda mais nos líderes se vencer o jogo atrasado da 13ª rodada, contra o Athletico, na quarta-feira, às 19h15, em Curitiba.

Hoje, a diferença para o líder Santos, que tem 32, é de cinco pontos. Flamengo e Palmeiras, com 30 cada um, vêm na sequência. E o Atlético-MG, quarto, tem os mesmo 27 pontos do Tricolor.

O fator Daniel Alves

Antes mesmo de o camisa 10 estrear pelo São Paulo, com boa atuação diante do Ceará, o Tricolor vinha embalado. A desconfiança pré-Copa América deu lugar a um clima melhor no pós-torneio.

Empate com o Palmeiras e vitórias contra Chapecoense, Fluminense, Santos e Ceará mudaram os ares pelos lados do CT da Barra Funda. Mas a contratação do lateral da seleção mudou o patamar.

Agora, o técnico Cuca tem um craque no elenco, daqueles que pode fazer diferença, como visto no último domingo, no Morumbi. A atuação de Dani Alves pode não ter isso a melhor, mas foi decisiva.

E é isso que faltava ao São Paulo de pouco tempo atrás: alguém que mudasse o time de patamar e, ao mesmo tempo, fosse decisivo com a bola no pé.

A maneira como Daniel Alves recebe a bola de Raniel, acionado por Juanfran, e faz o gol da vitória do Tricolor é coisa de quem entende muito de futebol. E de ser vencedor.

Elenco mais completo

Na temporada passada, o São Paulo chegou a ser o campeão simbólico do primeiro turno, mas caiu de produção no segundo turno e terminou o Brasileirão apenas na quinta colocação.

O principal motivo dessa queda foi a falta de um elenco mais qualificado para enfrentar um torneio tão longo quanto o Brasileirão. As lesões ocorreram, e as reposições não foram à altura.

A perspectiva para a atual edição da competição nacional é outra. Em todos os setores o São Paulo está com boas peças de reposição. O que dá ao técnico Cuca maior segurança.

Evolução constante

A partir de agora, com a confiança recuperada e um elenco qualificado, a missão do São Paulo é melhorar o futebol. Apesar dos bons resultados, o time ainda tem problemas.

Cuca sabe disso e insiste em dizer que o Tricolor ainda está em formação. A reta final de primeiro turno é fundamental para que as coisas se encaixem melhor.

Além do jogo atrasado contra o Athletico, na quarta-feira, o São Paulo tem no primeiro turno:

  • Vasco, dia 25/8, no Rio de Janeiro
  • Grêmio, dia 31/8, no Morumbi
  • Inter, dia 7/9, no Beira-Rio
  • CSA, dia 15/9, no Morumbi

A meta da comissão técnica e da diretoria é terminar essa primeira parte do campeonato com a menor distância possível do líder e na cola do pelotão de frente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: