Rio recebe título de primeira Capital Mundial da Arquitetura pela Unesco

Arquiteto Anibal Sabrosa, presidente da Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura do Brasil (Asbea); Nivaldo Andrade, presidente do IAB; Vereana Andreatta, secretária Municipal de Urbanismo; Fabian Llisterri, tesoureiro da União Internacional de Arquitetos (UIA); Thomas Vournier, presidente da UIA; e Sergio Magalhães, presidente do 27° Congresso da UIA 2020 — Foto: Fernando Thompson / Prefeitura do Rio

A cidade do Rio de Janeiro, no Brasil, é a primeira Capital Mundial da Arquitetura. O título foi entregue em cerimônia na manhã desta sexta-feira (17), em Paris, pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco). A informação foi confirmada pela sede do organismo em Brasília.

É a primeira vez que uma cidade recebe essa designação – criada no ano passado em parceria entre a Unesco e a União Internacional dos Arquitetos (UIA).

Em 2012, a Unesco já tinha concedido ao Rio o título de patrimônio cultural mundial na categoria paisagem urbana. Com a designação desta sexta-feira, o Rio fica responsável pela organização do Congresso mundial da União Internacional dos Arquitetos no ano que vem, entre 19 e 26 de julho de 2020.

“O título da Unesco deve atrair para a cidade arquitetos do mundo inteiro”, disse o prefeito Marcelo Crivella. “Eles virão aqui não só para apreciar nossas belezas naturais e as construídas pela genialidade dos nossos mestres da arquitetura ao longo dos séculos. Eles também vão sugerir novas mudanças de modernização e parcerias internacionais para melhorar ainda mais a cidadania dos moradores da cidade do Rio”, comentou.

Impactos

Para Verena Andreatta, secretária de Urbanismo da cidade, presente na assinatura do título, os impactos para a cidade serão “enormes”.

Estima-se que venham ao Rio, em 2020, durante o congresso mundial, mais de 25 mil pessoas. “Com isso, nossa cidade também vai ganhar com o turismo, com empregos e renda”, destacou Verena.

Sérgio Magalhães, presidente do Comitê Executivo do Congresso Mundial de Arquitetos, também celebrou o título. “Especialmente porque proporciona um diálogo com a sociedade que deverá criar um novo tempo para o enfrentamento dos desafios das nossas cidades”, afirma.

O presidente do IAB, Nivaldo de Andrade, destaca que o Rio é uma “referência da arquitetura”. “É a terra de tantos arquitetos e paisagistas mundialmente conhecidos, como Oscar Niemeyer, Roberto Burle Marx e Lucio Costa, que ajudaram a construir a paisagem urbana do Rio”, cita.

Diversidade urbana

Para conceder o título, os dois organismos internacionais levaram em conta a diversidade urbanística do Rio, que tem em seu território situações comuns tanto em grandes centros urbanos de países ricos como em desenvolvimento, o que a torna um caso quase único de interesse para os arquitetos do mundo todo.

“Apesar de relativamente nova, a cidade do Rio já deixou valiosas referências na história da arquitetura. Ao longo de seus poucos séculos, passou por transformações substanciais, de grande magnitude, com técnicas complexas da engenharia e do urbanismo contemporâneos. Poucas cidades tiveram alteração tão expressiva em sua topografia original. Temos uma mescla eclética de estilos arquitetônicos e paisagem urbana reverenciada pelo mundo por suas condições naturais. O título de Capital Mundial da Arquitetura é a justa condecoração desta história”, defende Verena Andreatta, Secretária de Urbanismo da cidade.

A cerimônia reuniu a diretora-geral da Unesco, Audrey Azoulay; a secretária de Urbanismo, Infraestrutura e Habitação do Rio, Verena Andreatta; o presidente da UIA, Thomas Vonier; o presidente do Comitê Executivo do Congresso Mundial de Arquitetos UIA2020Rio, o presidente do Instituto dos Arquitetos do Brasil, Nivaldo Andrade, e Sérgio Magalhães.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: