Queda de viaduto na cidade italiana de Gênova deixa ao menos 20 mortos

Pelo menos 20 pessoas morreram e cinco ficaram gravemente feridas nesta terça-feira, quando um trecho de um viaduto na cidade italiana de Gênova desmoronou, segundo fontes oficiais. O vice-ministro de Infraestrutura da Itália, Edoardo Rixi, disse que “infelizmente aumentará” o número de vítimas com o passar das horas. No momento do desmoronamento, por volta do meio-dia (às 8.00, no horário de Brasília), havia cerca de 30 carros naquele trecho da rodovia A-10.

Trata-se da ponte Morandi, que atravessa o rio Polcevera e passa por uma área densamente habitada e por uma ferrovia. Nas primeiras imagens divulgadas pela imprensa local já era possível ver veículos caídos no abismo e que a ponte perdeu dezenas de metros. As imagens mostram como parte do entulho também atinge pelo menos duas estradas que passam sob a ponte.

Desde a primeira hora da manhã, toda a região da Ligúria está em alerta laranja devido às fortes chuvas que caem hoje em toda a Itália. As precipitações e o intenso trânsito destes dias, às véspera do feriado nacional de 15 de agosto, complicam as tarefas de resgate. O ministro italiano dos Transportes, Danilo Toninelli, afirmou no Twitter que está acompanhando o caso “com a maior preocupação” diante do que poderia ser “uma imensa tragédia”.

Piero Fraterrigo, de 56 anos, trabalhador da fábrica da Ansaldo Energia, localizada a poucos metros de distância do local, conta por telefone que ouviu um grande ruído de ferro caindo, informa Francesco Rodella. “No começo, eu pensei que era material da fábrica que havia caído de algum lugar”, diz ele. Quando olhou para o pátio do prédio industrial, percebeu que um trecho inteiro do viaduto havia desmoronado. “Foi incrível. Você poderia ver a ponte no meio do nevoeiro sem um pedaço. Parecia uma ilusão de ótica”, conta. “Por poucos metros os escombros não atingiram nossa fábrica”, acrescenta. A testemunha conta ainda que viu algum relâmpago perto do ponto em que a infraestrutura caiu, embora ele não saiba se o local foi diretamente atingido por um raio.

A operadora de rodovias Autostrade assegurou, por meio de comunicado, que vinha realizando obras para reforçar a estrutura da rodovia no trecho do viaduto. “As causas do colapso serão investigadas minuciosamente assim que for seguro chegar ao local”.

O vice-presidente e ministro do Interior italiano, Matteo Salvini, disse que exigirá responsabilidade. “Como italiano, farei tudo o que estiver ao meu alcance para ter os nomes e sobrenomes dos responsáveis, porque é inaceitável que a Itália morra assim”, declarou o ultra-conservador.

O ministro dos Transportes, Danilo Toninelli, escreveu no Twitter que está acompanhando de perto o que aconteceu e que o desmoronamento está transformando-se em uma “grande tragédia”. O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, transmitiu hoje as suas condolências ao povo italiano numa declaração: “Estou profundamente triste com a queda de uma viaduto em Génova, que ceifou muitas vidas. Em nome da Comissão Europeia, expresso minhas mais profundas e sinceras condolências às famílias e amigos das vítimas e a todo o povo italiano”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *