Projeto promove reciclagem em troca de alimentos no Parque Madureira

A Prefeitura do Rio, por meio da Secretaria Especial de Turismo e Legado Olímpico, informa que uma nova fase do projeto Hortas Cariocas, da Secretaria de Meio Ambiente, foi iniciada no Parque Madureira. O programa, que já disponibilizou dezenas de toneladas de alimentos para famílias do subúrbio carioca, começou a cadastrar o nome e o endereço dos moradores do entorno do Parque Madureira para que eles possam trocar lixo reciclável por legumes e verduras produzidos na horta do parque.

A iniciativa visa alertar as pessoas para a importância de descartar o lixo de forma correta e reforçar o conceito da reciclagem no Rio de Janeiro. O morador cadastrado leva o lixo reciclável para o Hortas Cariocas que separa esse lixo e envia para a reciclagem, e o morador recebe alimentos em troca. Segundo o hortelão responsável pelas hortas do Parque Madureira, Douglas dos Santos, de 29 anos, o projeto agora quer conseguir reciclar ainda mais materiais.
 
– Ver os terrenos do Parque Madureira sendo usados para prover alimentação para os mais necessitados, em uma iniciativa conjunta da Secretaria Especial de Turismo e Legado Olímpico com a Secretaria de Meio Ambiente, é essencialmente o que representa o Legado Olímpico. A união por uma iniciativa tão importante como essa, que ajuda a cuidar das pessoas, é o que deve guiar o futuro do Rio de Janeiro – destaca a secretária Especial de Turismo e Legado Olímpico, Camila Sousa.
 
RECONHECIDO PELA ONU
Responsável por distribuir mais de 38 toneladas de alimentos para famílias cariocas desde o início da pandemia, o projeto Hortas Cariocas foi reconhecido, em agosto de 2020, como uma das ações essenciais para alcançar os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU. No site da organização, a matéria ressalta que o projeto “oferece à população local insumos e materiais para o desenvolvimento da agricultura orgânica, além de promover a educação ambiental”.

Com várias opções de verduras, hortaliças, ervas, legumes e raízes, a horta faz doações para quem precisa ou vende seus produtos por um valor simbólico. Além de adquirir um produto de qualidade, sem a presença de agrotóxicos ou poluentes, o consumidor recebe uma verdadeira aula de ecologia e sustentabilidade. 

Cuidado pelos moradores do entorno do parque, que foram contratados e capacitados para cuidar da horta, o terreno é um autêntico ponto de virada para a vida dessas pessoas.

Douglas dos Santos, de 29 anos, encarregado das hortas do Parque Madureira, é um exemplo disso. Morador da Palmeirinha, ele trabalha com a ajuda da esposa, Roberta, e consegue aproveitar o tempo para ensinar sobre agricultura e reciclagem para os quatro filhos, que brincam nas estruturas do Parque Madureira. “Eu trabalhava na praia, mas ganhava pouco dinheiro para um trabalho pesado. Aqui aprendi sobre as técnicas da agricultura orgânica e da agricultura familiar, que é a nossa origem, a nossa cultura verdadeira. Hoje, posso trabalhar e ficar perto dos meus filhos. Atualmente, temos 37 canteiros. A ideia é a gente chegar até a outra horta, lá no começo do parque. Tô muito feliz com o sucesso do projeto porque realmente funciona”, contou Douglas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TV Prefeito