Prefeitura de Nilópolis cobra informações sobre barragem no Gericinó

Diante das informações divulgadas pela mídia a respeito de possíveis problemas e riscos em uma barragem na área militar de Gericinó, o prefeito Farid Abrão determinou à Secretaria Municipal de Defesa Civil, que acompanhasse o caso de perto e cobrasse junto à Secretaria de Estado do Ambiente e Sustentabilidade – SEAS informações à respeito do local.

Diante da demanda, o secretário Sinézio Perez Gonzales, encaminhou na manhã desta quarta-feira (06) os agentes Darley Villar e Marcelo Assis para uma visita técnica ao local, onde não constataram nenhum problema estrutural. De forma a cumprir o dever de manter a população nilopolitana informada, foi agendada uma reunião junto Secretaria de Estado do Ambiente e Sustentabilidade – SEAS.

A comitiva de Nilópolis, que contou ainda com o engenheiro da Defesa Civil de Nilópolis, Marcelo Menezes, foi recebida pela Subsecretaria de Segurança Hídrica e Governança das Águas, Renata Oliveira, além de Edson Falcão
​e Fernanda Dias, representantes da SEAS.

Durante a reunião, que contou ainda com a participação do diretor de Minimização de Desastres da Defesa Civil do município de Mesquita, Alex Cruz, foram esclarecidas dúvidas sobre a operação, fiscalização e a situação real da construção.

Sem riscos de rompimento

Com relação a barragem de Gericinó, construída pelo INEA para fins de controle de inundação, Edson Falcão informou que foi realizada Inspeção de Segurança Regular (ISR) em dezembro de 2018, que não detectou anomalias que afetem potencialmente as condições de segurança e de operação da barragem, e também o seu estado de conservação, afastando assim o risco de rompimento.

“Esta barragem, juntamente com a de Juturnaíba, são as principais inseridas no Estado do Rio de Janeiro. Seu papel é o controle de inundações nos rios Sarapuí e Pavuna, beneficiando direta e indiretamente cerca de dois milhões de pessoas dos municípios de Mesquita, Belford Roxo, Nova Iguaçu, Nilópolis, São João de Meriti e Duque de Caxias”, explica Edson Falcão, coordenador de Segurança Hídrica da SEAS.

Ainda respondendo aos questionamentos dos representantes de Nilópolis e Mesquita, os representantes da SEAS informaram que a barragem não está em seu funcionamento pleno, já que as comportas apresentam problemas e não retém as águas que chegam até elas, porém, a recuperação tanto das comportas instaladas no Rio Sarapuí quanto nas do Rio Pavuna será feita ainda este ano. “A recuperação das comportas da barragem é uma das nossas prioridades neste início de gestão e as obras devem ser iniciadas nos próximos meses”, destacou a subsecretaria de Segurança Hídrica e Governança das Águas, Renata Oliveira.

Também foi informado que até o final deste ano será finalizado o Plano de Segurança da Barragem do Gericinó, atendendo desta forma todas as recomendações relacionadas à fiscalização de segurança de barragens definidas nas Resoluções n° 1 e 2, de 28 de janeiro de 2019, expedidas pelo Conselho Ministerial de Supervisão de Respostas a Desastres e da Moção nº 72, de 29 de janeiro de 2019, emitida pelo Conselho Nacional de Recursos Hídricos (CNRH).

Marcelo Assis, responsável pela elaboração do Plano de Ação de Emergência para Grandes Chuvas em Nilópolis, destacou que o município deve concluir nos próximos dias a entrega do documento e se colocou à disposição da SEAS para colaborar no que for preciso. “Já estamos bem avançados e somente nos faltam alguns pequenos detalhes para que este documento seja concluído e possa colaborar também com o Plano de Segurança da Barragem do Gericinó”, disse o agente da Defesa Civil de Nilópolis.

“Diante da repercussão do acontecido em Brumadinho/MG, a população ficou preocupada, o que é natural diante da terrível tragédia ocorrida. Porém, infelizmente, algumas pessoas e até mesmo veículos de comunicação, que deveriam usar o poder das mídias para ajudar, acabaram usando o fato para chamar a atenção, causando desta forma pânico. Incumbi o secretário Sinézio de buscar informações e assim transmitir uma mensagem transparente do que realmente está acontecendo na barragem, que apesar de não estar em nosso território e nem ser nossa responsabilidade, nossa população é diretamente afetada pelo que viesse a ocorrer naquela construção. Agradeço a Secretaria de Segurança Hídrica e Governança das Águas, na pessoa da Sra. Renata Oliveira e de seu quadro técnico, pelo atendimento imediato das nossas demandas e nos colocamos à disposição para ajudarmos no que for possível”, disse o prefeito Farid Abrão.

A barragem

A barragem de Gericinó foi construída na década de 1990, pela extinta Superintendência Estadual de Rios e Lagoas (SERLA), hoje incorporada ao Instituto Estadual do Ambiente (Inea). A obra aconteceu após fortes inundações na Baixada Fluminense em 1988, tendo como objetivo controlar as cheias dos rios Sarapuí e Pavuna.

​A barragem é composta por duas estruturas de barramento, uma no Rio Sarapuí e outra no Rio Pavuna, nos municípios de Mesquita e Nilópolis, sendo este último o segundo município mais denso do Estado do Rio de Janeiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: