Petrópolis, com 305 mil habitantes, se prepara para desafio do crescimento populacional e envelhecimento da população

Petrópolis precisa estar preparada para o crescimento populacional e uma população mais velha. Os esforços em planejamento e ainda controle de contas públicas que a prefeitura está desprendendo vão ao encontro da nova realidade, para que a cidade cresça de forma ordenada e com justiça social. Essa é a análise da prefeitura sobre a revisão populacional divulgada pelo IBGE nesta quarta-feira (29.08), em que Petrópolis já conta com 305 mil habitantes.

A taxa de crescimento de 0,82% em relação a 2017 pode significar aumento ou redução de recursos. Apesar de a taxa populacional influenciar o coeficiente do Fundo de Participação dos Municípios e o cálculo do ICMS, uma coisa é certa: o aumento da população significa que mais recursos devem ser aplicados para mais habitantes e habitantes cada vez mais idosos.

Petrópolis é o município de toda Região Serrana com o maior número de idosos. São aproximadamente 44 mil pessoas acima dos 60 anos e a prefeitura está criando estratégias para ampliar o acesso à saúde desta população. A prefeitura lista ainda maior migração de pessoas atendidas pelo SUS como fator de preocupação das autoridades municipais. Há ainda a crise financeira que influencia diretamente no acesso à saúde pública. Então, são vários fatores que precisam ser levados em conta e orquestrados projetando em como a gestão deve agir para garantir a qualidade de vida de todos.

As estimativas populacionais municipais são um dos parâmetros usados pelo Tribunal de Contas da União (TCU) no cálculo do Fundo de Participação de Estados e Municípios e são referência para vários indicadores sociais, econômicos e demográficos. O município aguarda que Estado e TCU avaliem os dados e apresentem o coeficiente, que pode ser inclusive menor, pontando para redução de recursos.

“Hoje, o planejamento foca não apenas na questão financeira e ordenamento das contas públicas, mas em traçar as linhas de crescimento da cidade com a revisão de Lei de Uso e Planejamento do Solo, revisão de código de obras de posturas e uma série de ferramentas que vão pavimentar a construção do futuro”, aponta o coordenador de Planejamento e Gestão Estratégica, Roberto Rizzo.

IBGE divulgou estimativa

O IBGE conta, de 10 em 10 anos, sempre a partir do ano “0”, a população dos municípios em todo país. Do ano “1” ao “9” o instituto divulga uma estimativa, chamada de Projeção de População, baseada na taxa de crescimento verificado no Censo anterior – neste caso o de 2010 – e também no acompanhamento através dos cartórios, que disponibilizam mensalmente o número de nascimentos e óbitos no município. “Então, todos os anos, o IBGE divulga essa estimativa. Os números implicam, por exemplo, no repasse de verbas para as cidades”, explica Sebastião Carvalho, coordenador do IBGE em Petrópolis.

No final de julho, o IBGE havia divulgado a estimativa para o Brasil e estados, além de fazer a projeção de crescimento populacional até 2060.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *