Novo polo de atendimento começa a funcionar em São José do Imbassaí, em Maricá

O novo polo de triagem e atendimento para Covid-19 instalado em São José do Imbassaí começou a funcionar nesta terça-feira (14/07). A estrutura tem capacidade para atendimento de cerca de 200 pessoas por dia. Montada na Arena São José, faz parte da estratégia de contenção do contágio do novo coronavírus, pois ficou constatado o aumento dos casos confirmados para Covid-19 no bairro. Seu funcionamento é igual ao dos demais polos: de segunda a segunda, de 8h às 20h.

O novo polo realiza testes rápidos (uma gota de sangue) e swab (cotonetes na narina e na garganta coletam material) para detecção de Covid-19 nas pessoas sintomáticas, de acordo com a avaliação das equipes que atendem no local. Até o momento foram atendidos, em todos os polos de triagem (Centro, Itaipuaçu e Ponta Negra, este desativado) 4757 pessoas, de 1º de junho a 12 de julho, sendo 356 positivos. E foram feitos 4369 testes.

“Vamos fazer sempre o que estiver ao nosso alcance para acompanhar a evolução da pandemia. Embora muitas cidades do estado e do país estejam flexibilizando o isolamento, precisamos lembrar que ainda não acabou. Seguimos por aqui com as precauções necessárias e evitando aglomerações”, comenta a secretária de Saúde, Simone Costa e Silva, reiterando o cuidado com as equipes que atuam nos polos.

A aposentada Neuza Azevedo, de 59 anos, começou a sentir sintomas que associou aos da Covid-19: tosse, coriza, corpo dolorido e, como mora com o marido e seu neto, que está gripado, achou melhor ir ao polo em busca de atendimento.

“Moro em Maricá há três anos. Antes, morava em São Gonçalo. A diferença é enorme no atendimento prestado à população. Não tenho do que me queixar daqui, é só satisfação com relação à Saúde. Tenho psicólogo, neurologista, psiquiatra, cardiologista… Sem contar a médica e enfermeiras da Unidade de Saúde da Família do meu bairro que são ótimas”, comenta a moradora de São José do Imbassaí.

O coordenador de enfermagem do polo de São José, Wellington Rodrigo, explica o passo a passo quando a pessoa chega a um polo de atendimento da cidade:

“Primeiro há o acolhimento, com a triagem (sem febre ou com febre). Em seguida, o paciente vai para a recepção, para preenchimento do boletim de atendimento médico, passa pela enfermagem (aferição de pressão, batimentos cardíacos) e segue para o atendimento médico”, conta Wellington. “A partir da orientação médica, levando em conta os sintomas, é determinado o tipo de teste que será feito e se será feito – swab ou teste rápido”, afirma.

De acordo com o protocolo seguido pela Secretaria de Saúde, se o paciente estiver com sintomas graves, é encaminhado para uma unidade de Saúde, e se for positivo, mas estiver se sentindo bem, com sintomas brandos ou assintomático, vai para casa ficar em isolamento.

A análise epidemiológica que apontou a necessidade de um polo em São José, detectou também o decréscimo do número de atendimentos e de casos em Ponta Negra. De acordo com a secretaria de Saúde, está sendo possível controlar os casos sintomáticos com uma tenda externa à Unidade de Saúde da Família em Ponta Negra.

A tenda tem capacidade para cerca de 30 pessoas, em média, que era a quantidade de atendimentos diários que o polo estava recebendo. Foi montada para impedir que as pessoas que procurem atendimentos no posto de Saúde cruzem com pessoas sintomáticas para Covid-19. Permanecem montados os polos do Centro e de Itaipuaçu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TV Prefeito