MPRJ denuncia por homicídio qualificado policial militar acusado de matar menina Ágatha Felix no Alemão

Ágatha Félix, morta no Alemão — Foto: Reprodução

O Ministério Público do Rio de Janeiro denunciou nesta terça-feira (3) o policial militar Rodrigo José de Matos Soares, acusado de matar a menina Ágatha Vitória Sales Felix, de 8 anos, no Complexo do Alemão. O crime aconteceu na noite do último dia 20 de setembro.

Rodrigo José de Matos Soares irá responder por homicídio qualificado. Caso condenado, o policial poderá cumprir pena de 12 a 30 anos de prisão.

O MPRJ também pediu à Justiça a suspensão parcial do exercício da função pública do suspeito. Além disso, também foi feito um requerimento de suspensão da autorização de porte de arma de fogo do policial.

O PM, segundo solicitação do MPRJ, deve ficar proibido de ter contato com as testemunhas, terá que fazer comparecimento periódico ao Juízo e a proibição de ausentar-se da Comarca.

A denúncia foi oferecida à 1ª Vara Criminal da Capital pelo MPRJ, através do Grupo de Atuação Especializada em Segurança Pública (Gaesp).

Não havia tiroteio quando menina morreu, conclui polícia

Em novembro, a Polícia Civil concluiu que não havia tiroteio no momento em que a menina Ágatha Félix foi baleada no Complexo do Alemão. A conclusão do inquérito confirmou que a bala que atingiu a menina saiu do fuzil do policial militar.

O relatório da perícia contestou o depoimento dos PMs envolvidos na ação — os militares sustentam que revidaram contra uma dupla que passava atirando em uma motocicleta. Para a Polícia Civil, no momento do crime, não havia pessoas armadas além dos policiais.

Ágatha estava no banco de trás de uma Kombi com a mãe quando foi atingida nas costas. Na hora, o veículo estava parado, com o porta-malas aberto. O projétil entrou pela traseira do utilitário, rasgou o forro do assento e feriu a menina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TV Prefeito
%d blogueiros gostam disto: