Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação auxilia agricultura com pesquisa e tecnologia, afirma Marcos Pontes

OMinistério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) auxilia a agricultura brasileira com pesquisa e desenvolvimento de tecnologias, garantiu o ministro Marcos Pontes, durante participação na live “Tecnologia Assistivas Nacionais e a Competitividade dos Produtos Agrícolas Brasileiros no Mundo”. O encontro virtual, realizado nesta sexta-feira, teve entre os convidados o vice-presidente da República, general Hamilton Mourão.

“Colocamos todo o nosso sistema de pesquisa e laboratórios à disposição do setor agrícola para criar um sistema sinérgico na produção de conhecimento, riqueza e melhoria da qualidade de vida da população”, afirmou Marcos Pontes. Segundo ele, o MCTI conta com uma série de programas que incluem ações voltadas para a agricultura brasileira, como o Plano Nacional de Internet das Coisas (IoT). O plano tem como uma das verticais a Câmara Agro 4.0, cujo objetivo é promover ações de expansão da internet no campo e a aquisição de tecnologias e serviços inovadores no ambiente rural.

Desenvolvimento Sustentável

O vice-presidente Hamilton Mourão ressaltou que o agronegócio tem um papel fundamental na expansão equilibrada de suas fronteiras. “Não se vislumbra desenvolvimento que não seja sustentável. É preciso aumentar o incremento tecnológico, responder demandas globais  e promover o desenvolvimento em comunhão com as melhores práticas de sustentabilidade.”

Hamilton Mourão salientou a relevância da temática ambiental no século 21. De acordo com ele, o governo brasileiro tem feito esforços para garantir e preservar recursos naturais “Os cuidados com a preservação da Amazônia, tema de abrangência supranacional, é fundamental para a manutenção dos interesses do Brasil e do agronegócio”.

O presidente da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Celso Moretti, destacou a evolução do agronegócio no país. “Nas ultimas cinco décadas, o Brasil deixou de ser importador de alimentos para se tornar um dos maiores produtores e alimentos, fibras e bioenergia do mundo.”

Moretti revelou que a Embrapa possui quinto maior banco genético do mundo, com mais de 100 mil amostras de animais, vegetais e microorganismos de 800 espécies mundias. “É uma estrutura de segurança nacional para o Brasil.” Como desafios para o setor nos próximos anos, o presidente da Embrapa citou a tecnologia na agricultura digital e aconectividade no campo; sistemas sustentáveis e integrados e a bioeconomia. “O mundo vem  evoluindo de uma economia baseada em energia fóssil  para sistemas biológicos.”

O encontro virtual  teve como mediadora a deputada federal Aline Sleutjes (PSL-PR) e também contou com a participação do CEO da Sempre Sementes, Fernando Prezzotto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TV Prefeito